domingo, 28 de dezembro de 2014

O poder das palavras


"Posso não concordar com nenhuma das palavras que você disser, mas defenderei até a morte o direito de você dizê-las".
Voltaire.

Na vida o que mais desejamos é que nossas palavras assim como nossos atos sejam inesquecíveis, que seja representativo e que acima de tudo faça a diferença para nós e por nós.
Que através delas possamos não apenas ser nós memos, mas tudo o que nos cerca e nos faz ser quem somos e com elas nos traga a certeza que o poder das palavras tem o real sentido... a leveza do vento e a força da tempestade.

Certo como o vento que leva, as palavras possuem sentidos e direções, força e vontade.

Não nos neguemos a verdade que toma de forma crescente, pulsante e dimensional a representação que buscamos e que tão sutilmente nos é apresentada.
Tomamos as verdades que nos são dadas?...sim.

É preciso ter alguns bons hábitos, entre eles o da verdade como fonte única; alimentando as palavras que reverberamos ao mundo; um mundo sólido que tocamos e deixamos pegadas. Queremos mudar o mundo ao nosso redor, possuímos essa vontade onipresente de colorir o cinza e pluralizar a felicidade; mas adormecemos tudo com uma simples inverdade.

Por que é tão complicado ser sincero?
Quer uma verdade? Se totos soubessem o peso das palavras dariam mais valor ao silêncio.
Palavras erradas costumam machucar para o resto da vida, já o silêncio certo pode ser a resposta de muitas perguntas.
Contradições...

Onde moram as inseguranças...certamente imperam algumas convicções. Existe uma linha fina que traçamos onde penduramos as palavras que gostamos ou apenas permitimos manter como uma maneira de afastarmos as dores, os medos, os suspiros ansiosos...existe uma vazão para toda essa avalanche que se forma? será?
Existe sim uma libertação incrível com as palavras certas, as erradas, as confusas, as indevidas, as acaloradas, as vibrantes, as gritantes.

Falar é ouro...já dizia o ditado.
O poder de uma palavra muda tudo. Ela reverbera sua alma, expõe suas cruas necessidades e ultrapassa limites. Será você com o mundo...um mundo ao qual você decide se quer fazer parte. 
No fim cabe a você reconhecer o poder de suas palavras, ela é o seu domínio sobre o mundo.

As palavras só têm sentido se nos ajudam a ver o mundo melhor. Aprendemos palavras para melhorar os olhos, há muitas pessoas de visão perfeita que nada vêem...
O ato de ver não é uma coisa natural...é preciso mesmo praticar.

Existem momentos na vida da gente em que as palavras perdem o sentido ou parecem inúteis e, por mais que a gente pense numa forma de empregá-las, elas parecem não servir...Então a gente não diz, apenas sente.
E concretizamos assim, que o poder que possuímos muitas vezes nos impede de libertarmos todas as palavras que colecionamos em nosso caminho.
Elas acabam mesmo se tornando parte de nós.

Sorrisos e abraços espontâneos me emocionam.
Palavras até me conquistam temporariamente.
Mas atitudes me ganham para sempre.