terça-feira, 10 de junho de 2014

O filtro dos sonhos


Tenho em mim todos os sonhos do mundo...

Certa vez um amigo questionou o porque deu não acreditar em coincidências e minha única convicção nisso tudo esta na explicação que nada nem ninguém cruza nossa vida por acaso assim como eu creio que o destino não é uma questão de sorte, mas uma questão de escolha; não é uma coisa que se espera, mas que se busca.

Todos os dias somos apresentados a situações diversas, um cotidiano que se contradiz ou não; mas inevitavelmente os fatos mudam, independente a nossa vontade ou planejamento. Podemos criar cenários, ainda sim, os cenários diversificam e você...sempre se adapta ou pelo menos se questiona a respeito de como mudar, se transformar.

Existem muitas razões para acreditarmos que a vida é uma união de inúmeros fatores que nos projetam para infinitas possibilidades, uma junção de questões em aberto que quando confrontadas, se transformam em uma real possibilidade de realizações.
Há um tempo em que é preciso abandonar as roupas usadas, que já tem a forma do nosso corpo, e esquecer os nossos caminhos, que nos levam sempre aos mesmos lugares. É o tempo da travessia: e, se não ousarmos fazê-la, teremos ficado, para sempre, à margem de nós mesmos. 

Foi Nietzsche quem disse: Não há fatos eternos, como não há verdades absolutas.
Exatamente...Deixar ir embora. Soltar. Desprender-se.
Para que nos apegarmos as verdades que julgamos tão certas, quando na verdade é dentro de cada dúvida que nascem as respostas?
Somos uma soma de tantas escolhas e incontáveis sonhos...

Acreditamos nos sonhos e no poder que eles transmitem. É na intensidade que descobrimos o poder de sermos aquilo que desejamos, ou pelo mesmo o que projetamos para nossa vida. Nos transportamos para um mundo onde nossas decisões e desejos são importantes e imutáveis. Não existem limites, mas então por que filtramos nossos sonhos?

Filtramos para não nos perdermos, para não deixamos o controle longe de nosso alcance, para nos protegermos e sem dúvida para criarmos uma segurança sobre o real a que nos propomos quando deixamos a vida em espera.
Colocamos a vida em pausa quando é preciso força pra sonhar e perceber que a estrada vai além do que se vê.

É preciso deixar as portas abertas... Sonhar faz parte do processo de crescimento interior; ele nos fortalece, nos impulsiona a conhecermos mais sobre nós mesmos e claramente nos possibilita despertar para novas descobertas e iniciarmos novas fases.
O sonho não possui amarra; ele nos liberta.
Não existem filtros; o que existe é o limite....pois há os que criticaram por sonharmos demais, mas continuo achando que é melhor sonhar o infinito e conquistar uma parte dele a sonhar nada e conquistar todo o nada.

O homem não morre quando deixa de existir, morre quando deixa de Sonhar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu registro...