segunda-feira, 2 de junho de 2014

Apenas faça



Sou o que quero ser, porque possuo apenas uma vida e nela só tenho uma chance de fazer o que quero.

Se nós possuímos apenas duas mãos e o sentimento do mundo...certamente temos um ponto de partida não apenas como um esboço, mas como um caminho que nos permite criar, acelerar e por que não retroceder?
Planejamos e não executamos; idealizamos um amanha com tantas horas e incontáveis cenas, mas esquecemos que o amanha é muito longe para um hoje cheio de questionamentos que deixamos em aberto....para aprender ou ensinar.

Não andamos em linha reta, gostamos de cruzar caminhos e neles nos questionar.
Então apenas...apenas faça. Parte de algo, a diferença, o inusitado, o diferente, o correto.
Você está aqui apenas para uma rápida visita; Não se apresse, não se preocupe.
Fazer parte constante de algo surpreendente pode mesmo levar uma grande parte do processo antes mesmo dele ter um final...esperado ou não.

Existe mesmo um propósito em nossas vidas?
Realizações pessoais ou profissionais; um deslumbramento do que pode nos tornar visíveis ou menos visíveis para uma paz interior...tudo é relativo e certamente pessoal e intransponível. Ninguém deve determinar nossos passos e mesmo assim, as pessoas insistem em cruzar a linha e ditar o que é ou não importante.
Faça aquilo, veja aquilo...apenas faça? Sério mesmo?

E no meio de tudo isso, existem aqueles que desrespeitam nossa inteligência, julgam nossa indulgência, apontam defeitos, julgam a prudência, questionam nossas escolhas...
Apenas por simples e total vontade de fazer da nossa vida um livro da qual todas as páginas se tornam abertas e sujeitas a mudanças.
Um erro atrás de outro.

Não podemos escolher como nos sentimos, mas podemos escolher o que fazer a respeito.
E se nós somos a soma de todas as escolhas que fazemos; temos a obrigação moral de sermos ao menos verdadeiros com tudo que nos cerca e fazer disso uma premissa válida.
A balança entre escolhas e consequências jamais se equalizará, na mesma proporção que sempre existirão as pessoas que julgam, aquelas que apontam , as que possuem a verdade, as impertinentes e os imbecis.
Mas acima de tudo existirão os questionadores...amém!.

Apenas faça primeiro por você; outros o compreenderão... e se não o compreender, basta continuar em frente. Para que agradar a todos se você continua sem razões para isso?
Fale sobre si mesmo, com qualidade a fim de questionar suas verdades, as verdades do meio onde vive e o autoconhecimento fruto dessa pesquisa sincera.
Faça mais do que pode, até o fim.
Questionar-me, sim, arrepender-me, jamais.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu registro...