segunda-feira, 24 de março de 2014

Seguimos persistindo


Viver é a arte de persistir com delicadeza.

Para mim é muito melhor compreender o universo como ele realmente é do que persistir no engano, por mais satisfatório e tranquilizador que possa parecer. 
Seguir..persistir...verbos diretos. Para você, para mim; somos nós quem definimos o sujeito em primeiro ou em último lugar.
Sou mesmo uma equilibrista na arte de persistir.

Há situações que até um determinado tempo você consegue insistir. Procura, corre atrás, afinal quem quer sempre da um jeito e quem não quer sempre vai arrumar uma desculpa. 
Entretanto, chega o exato momento em que você se cansa, cansa de pedir, cansa de indiretas, cansa de escrever nas entrelinhas, ai você para e simplesmente desiste.
Freia o ímpeto e começa a compreender o que é e o que não é.

Mas é aí que mora a diferença: Sonhos são realizados devido a minha persistência ao tentar o que nunca, ninguém conseguiu.
Dois caminhos, duas escolhas. 

O que fazer quando tudo que você quer é persistir mesmo sabendo que corre grande risco de se magoar seriamente? Vale a pena sofrer?  
Acredito no poder do sim e nas inúmeras perguntas para poucas respostas. 

Nós seres humanos somos incapazes de esquecer, mas somos bons em "seguir em frente". E seguir em frente não significa feridas curadas, não mesmo. Significa apenas: Fui forte o suficiente para prosseguir ou até eu sobrevivi.
Como podemos esquecer uma dor de uma perda ou muito menos de um esquecimento e depois seguir em frente ? Para mim nada disso é estranho, ou comum. 
Pela primeira vez você experimenta uma dor que não sabe que seria realmente a causa, mas te machuca só pelo esquecimento que te fez pensar em uma leve negligência. 
Devemos parar de dar importância para a persistência em certos momentos para não perdermos tempo e para que passemos a enxergar o horizonte de possibilidades novas. Apenas gostamos de enxergar aquilo que é mais fácil de ser entendido, o que estamos acostumados a acreditar e o que todos acham certo - ou não. 

Erramos porque buscamos sonhos iguais ou semelhantes a outros que já existem, sonhos maiores que nossa possibilidade de sonhar. Persistir em um jogo que só se perde, não quer dizer que deverá parar de jogar. Mude as estratégias, pare de julgar o que tanto erra e assuma que deve refletir um pouco mais sobre persistência.

Deveríamos seriamente aprender a desistir de certas coisas.

Para seguir a nossa frente temos que esquecer tudo e organizar o passado. Pode ser uma dor esquecer e também uma culpa, só basta se conectar. E nunca espere nada dos outros, caso contrário irá se decepcionar, cada vez mais ao ponto de tal ato torna-se uma constante!

Ainda sim que quão longe estejam os nossos sonhos,não devemos nunca desistir, mas persistir...Para dar continuidade a esperança de sermos felizes.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu registro...