sábado, 22 de fevereiro de 2014

A vida como ela é



Viver é a coisa mais rara do mundo. A maioria das pessoas apenas existe.
Oscar Wilde

A vida é demasiado curta para nos permitir interessar-nos por todas as coisas, mas é bom que nos interessemos por tantas quantas forem necessárias para preencher os nossos dias e com eles aprendermos mais sobre nós mesmos.

Se você se permitir a aprender; a vida tem muito que lhe ensinar. Ela é fácil e precisa apenas de uma lição para torná-la evidente nos seus pensamentos: Vive-la. Ela não vai te julgar pelas suas manias tolas e muito menos por suas grandes vitórias. 
Ela não vai fazer nada!

E com esse tempo... se você se permitir, vai perceber que a vida não tem culpa de seus tropeços e nem te aplaude pelas suas vitórias e nem o acolhe diante das suas desilusões em confiar no outro, ela vai sempre questionar-se da seguinte forma: É problema seu! 


Somos covardes diariamente em colocar a culpa na vida ou no fulano; raramente reconhecemos que a culpa e o erro foi nosso, ou melhor, nunca reconhecemos que nós fraquejamos e que somos humanos. 
Com a vontade de acertar nos esquecemos de viver o natural e com a ansiedade criamos expectativas em cima da vida que nem sempre vai ser aquilo que esperamos que fosse, criamos expectativas nos outros para termos um motivo a que reclamar no final de uma conversa. 

A vida é bela, ela é meio desastrada, ela é meio perdida, ela é meio triste, ela é meio que demasiado tudo. Mais ela é inteira você... é você o grande maestro disso tudo, é você que coloca o significado que quiser naquilo que compreendeu. É você, somente você, aprenda com a vida que o tempo não cura saudade, o amor não é para vida toda e nem para eternidade, isso é nota barata. 
O amor é um símbolo tão belo quanto a nossa existência e não tem validade. O tempo é o senhor da razão mais a única pessoa que poderá compreender é você. 

Aprenda com a vida que o tempo é o instante que vive e que o amanhã realmente não existe. Aprenda com a vida que a pessoa que você acha que pode estar gostando de você só está sendo ela por algum tempo e que você é o único ser capaz de fazer dar certo ou não. 
Aprenda com a vida que não existe o melhor emprego, mais que existe o tempo certo para tudo. Aprenda com a vida que desilusões sempre existem mais que o amanhã é o tempo do hoje e as conseqüências sempre virão. Aprenda que o tempo certo para viver foi o ontem e que a promessa que você fez com o tempo sumiu com o próprio tempo pela incapacidade de compreender que nem tudo é perfeito. Aprenda que com o tempo sua memória vai ficar escassa e que é melhor fazer de tudo que tem vontade antes que esqueça. Aprenda que namorar alguém por seis ou quatro anos não significa que essa pessoa vai passar toda eternidade com você.

Aprenda sobre ficar com alguém e principalmente: Aprenda a não criar expectativas nos outros, pois o tempo mostra tudo ao contrário do que pensamos. Ficar sozinha é o melhor remédio para o tédio e que tédio nem sempre é curada com a companhia de alguém, basta a sua. Viver custa barato, mas com o tempo você se compromete a dar o valor exato de cada momento. Compreenda que seus pais podem não estar mais presente no amanhã e que dizer “eu te amo” hoje pode salvar todas as magoas e tristeza com todos. 

Inimigos nunca irão existir, o que sempre vai existir é a incapacidade do seres humanos perdoarem uns aos outros. 

Aprenda com a vida que não importa quanto tempo você demore em compreender  algumas pessoas simplesmente não notam que você existe ou não fazem questão da sua presença. Assimile o significado de doar sem receber, pois doar é o ato mais lindo que você pode se permitir. Coragem não significa enfrentar o medo, mas sim ter força suficiente de viver. 


Erros sempre existirão, mais assumi-los pode ser o caminho mais curto para o acerto. Família significa união e partilha, ou seja, você tem que se doar também. Ajudar quem precisa é honroso e o valor recebido é a sorriso do próximo. 
Aprenda com a vida que Deus existe e que lembrá-lo apenas nos momentos difíceis não significa ser infiel, mas sim, uma certeza que você tem que ele é o caminho a verdade e a vida. Aprenda a viver e ser você, assim conquistará muito.

Aceite que a violência sempre vai existir e que o mundo poderá um dia ficar fora de controle, porém a solução está dentro de você na divulgação da palavra amor e fé. Entenda que a morte é dolorosa para os que ficam e é felicidade para os que partem. Aprenda com a vida que o término de uma união pode ser a solução de novas felicidades para com o próximo que tanto ama. 

Aprenda com a vida que o que você acha é apenas o seu achar e nada mais. Sempre existirão dois lados da moeda e você é responsável por reconhecê-los antes de julgar seu valor. 
Aprenda com a vida que é o tempo e não você que vai dar sentido as coisas e que viver é o ato mais difícil e que realm
ente algumas pessoas apenas existem. 
Mas acima de tudo?

Aprenda com a vida que aprender se leva tempo.

terça-feira, 11 de fevereiro de 2014

Procuramos pelo que?


A verdadeira viagem de descobrimento não consiste em procurar novas paisagens e sim em ter novos olhos.

Chega um ponto em que compreendemos algumas coisas, uma delas é que a necessidade de procurar a verdadeira felicidade é o fundamento da nossa liberdade.
Funcionamos tão bem, somos um mecanismo ativo, então por que é tão complicado assumirmos que procuramos sempre por algo ou alguém que nos complete ou nos faça ao menos acertar os passos...um na frente do outro?
Um paradoxo... é isso.

Mas o vazio tem o valor e a semelhança do pleno.

Convenhamos: as pessoas tendem a procurar por informações que confirmem suas verdades e a rejeitar informações que as contradigam; nós nos perdemos nos detalhes.
Nos aconchegamos através do suspense, somos transgressores, movimentamos nosso sistema calmo, desafiamos valores...e mesmo assim não encontramos tal substanciosa resposta.
Com o que nos deparamos?
Gostamos mesmo é de alimentar um sistema incansável de "porquês". 
É com eles que arrastamos as correntes interiores.

Procuramos por todo aquele silêncio que nos acalma e aclama por novos ventos.
E por isso quando mais precisamos de sentido, nos sentamos e desejamos o estalo de respostas; nos permitimos parar para compreender que nem sempre procurar implica em esperar.
É desnecessário tentar provar algo a alguém, quando na verdade as pessoas tomam como verdade aquilo que as convém. Não podemos nos culpar quando mesmo procurando por razões encontramos mais e mais dúvidas.
Cada um julga o que quer para sua própria vida.
Procuramos nos outros o que negamos sobre nós mesmos?....será?

Não faça nada que não seja por uma razão real; uma das maiores descobertas pelo caminho é torna-lo seu e muitas vezes procurar algum sentido se torna um jogo subjetivo.

Porque nos impressionamos e ficamos tão obcecados com coisas e feitos de grandes dimensões, quando na verdade são coisas pequeninas que, combinadas, tornam as grandes coisas possíveis?
Talvez...um possível talvez seja nada mais que receber um abraço inesperado em um momento inesperado; e por ele nos deixamos levar.
Você se sente vivo e compreende que quando deixamos de tentar encontrar sentido em tudo; as portas se abrem.

E uma coisa nisso tudo é certa: A felicidade não entra em portas trancadas.

Hoje, neste tempo que é seu, o futuro está sendo plantado. As escolhas que você procura, os amigos que você cultiva, as leituras que você faz, os valores que você abraça, os amores que você ama, tudo será determinante para a colheita futura.

Se procurar bem você acaba encontrando.
Não a explicação (duvidosa) da vida,
Mas a poesia (inexplicável) da vida.

Carlos Drummond de Andrade

segunda-feira, 3 de fevereiro de 2014

Negações


A negação não é uma poça d'agua..é um Oceano. 
E como podemos fazer para não nos afogarmos?

É assim: Não confunda persistência com insistência. A insistência leva a negação de si próprio e ao completo desamor. Mas convenhamos; estamos sempre dispostos a negarmos tudo aquilo que não compreendemos e na maioria das vezes acreditamos no que até mesmo duvidamos.
Completamente insano.
E isso vem de muito tempo, de muitas incompreensões, de falhas tentativas e da inércia em querermos tudo, independente de tempo, lugar e óbvia razão.
Para muitos dizer não é realmente dizer sim.

Você nega suas crenças, seus valores pessoais, nega origem, sexualidade, amores não correspondidos, amizades infundadas e iniciadas ao acaso.
Nós gostamos deste molde e com o passar do tempo ele cria raízes que ocupam um espaço infundado, mas coerente para inúmeras pessoas.
Não admitimos o permissivo como um ato do enfrentamento.

E as coisas parecem perder a importância toda hora. O problema é que para perder a importância toda hora, toda hora vivem ganhando força e convenhamos, o cansaço é brutal; ele esmaga prioridades e floresce vontades que nem sequer despertam o interesse real..apenas uma satisfação momentânea e uma lúdica forma de afirmação. É uma certa tentativa de compreensão em aceitar o não como uma ferramenta de aprendizado positivo...independente de estar em constante declínio.

Cometemos o erro de substituir o conhecimento pela afirmação de que é verdade aquilo que desejamos. E neste silêncio mora uma eloquente coesão.

Sofremos com esta auto proteção?
Por que não?, desafiamos nossa sensação de liberdade, gostamos de permanecermos nessa suave linha do tempo..onde podemos e somos capazes de mudarmos todos os cenários e critérios...não gostamos de fraquezas e suas consequências, mas somos tão atraídos por ela...
Negamos o que podemos, admiramos o alheio..faz parte da existência humana ser ambivalente com suas impertinências e dúvidas; talvez por isso negar seja a coisa mais fácil que exista, mas certamente a mais dolorosa aos olhos internos.
Enxergar e ver são dois pólos tão distintos e incrivelmente estúpidos diante da sua verdade pessoal.

Os ganhos ou os danos dependem da perspectiva e possibilidades de quem vai tecendo a sua história. O mundo em si não tem sentido sem o nosso olhar que lhe atribui identidade e sem o nosso pensamento que lhe confere alguma ordem. 
Afinal...façamos o mínimo, sejamos algo... a cada momento, o melhor que afinal se consegue fazer.
Cada um com sua participação e distorção.

Você pode até negar, mas no fundo a imprudência de suas afirmações atrai certa atenção pessoal e causa um frissom agradável; aquele que o faz crer que esta acima de qualquer moral ou bom comportamento.
Carência será sempre o maior resultado de suas negações.
Se o negar não existisse, estaríamos a beira de uma insanidade coletiva. 
Se nos escondermos num canto escuro abafando nossos questionamentos, não escutaremos o rumor do vento nas árvores do mundo.
Se...uma conjugação imperativa que caminha acelerada.

A verdade?

A lei de ouro é a tolerância mútua, já que nunca pensaremos todos da mesma maneira, já que nunca veremos senão uma parte da verdade e sob ângulos diversos.