quinta-feira, 10 de outubro de 2013

Respostas



Um pouco de paz é tudo que buscamos nessa vida...
Talvez apenas poucos minutos de calma para compreender os pensamentos e coloca-los de forma equilibrada e contínua.
Pensar, interagir, responder...3 formas e contextos divergentes em uma mesma situação.
São precisamente as perguntas para as quais não existem respostas que marcam os limites das possibilidades humanas e traçam as fronteiras da nossa existência.

Esperamos demais das pessoas; esquecemos que nem sempre teremos espelhos diante de nós capazes de suprir essa total e incoerente carência que em viver no imediato das situações. Essa fronteira que procuramos ultrapassar em nome da boa e sábia sanidade mental.
Não há nada mais irritante do que respostas não-respostas...

Não gostamos de ficar no silêncio e contemplar a angústia, mas sem dúvida depois de  algum tempo com nossos próprios devaneios, compreendemos que as únicas respostas interessantes são aquelas que destróem a questão.
E mesmo com toda a certeza que empregamos no outro, as únicas respostas interessantes são aquelas que destroem as perguntas.

Então porque nos colocamos a prova em todas as situações da vida?
Onde depositamos nossa confiança?

Sabiamente Veríssimo descreveu: Quando a gente acha que tem todas as respostas,vem a vida e muda todas as perguntas. E é nessa montanha russa sem definição que nos jogamos: enxergamos palavras onde impera o silêncio alheio; e com isso nos escondemos dentro de nós; queremos escutar o que tanto pode nos modificar.

Creio que existam situações onde definitivamente necessitamos de uma resposta certa, aquela que pode mudar nossa direção e nos fazer traçar caminhos, remanejar perspectivas e sem dúvida nos possibilitar descobertas; porém...sim existem os poréns...
É preciso não procurar respostas para algo onde não cabem perguntas.

Ou você fala; ou meu caro, precisa engolir as palavras e no tempo se perder.
Responda "não sei" e prepare-se para o show de questionamento. Tenha certeza de sua resposta, de sua falta de posição e com isso esteja seguro e armado; armado de argumentos..válidos e reais.

E com todo o mundo dentro de nós, as vezes devemos esvaziar a mente para encontrarmos as respostas certas ou então parar e repensar para onde estamos nos direcionando. 
Desnecessárias são perguntas e respostas quando a realidade não precisa de palavras para dizer o que é. Muitas vezes o que de verdade nos falta é a coragem da aceitação. A coragem para admitir que tudo o que foi trocado cumpriu o seu destino da melhor maneira que conseguiu, no tempo que conseguiu.

Precisamos parar de nos prender a expectativas ao que as pessoas podem falar para nós. Palavras são carimbos e atitudes são tatuagens..lembre-se bem disso na hora de cobrar por algo que compete somente a você.
Palavras tornam-se subjetivas aos olhares; eles nos dizem muito com tão pouco.
Mesmo querendo ouvir o que tanto você quer, não julgue a falta alheia, aceite que poucos possuem a força que você tanto transmite.

As nossas certezas de hoje serão contradições do amanhã, e como num piscar de olhos deixemos então a vida seguir sua constante mania de nos surpreender.
Uma coisa é certa, suas dores de cabeça serão menores e seus prazeres serão mais surpreendentes e chegará um tempo em que você não esperará mais respostas, apenas continuará procurando por novas perguntas.

A vida é assim, intensas perguntas e fugazes respostas.

2 comentários:

Deixe seu registro...