domingo, 29 de setembro de 2013

Não aprendi a dizer adeus...



A vida me ensinou a dizer adeus às pessoas que amo, sem tirá-las do meu coração.
Charles Chaplin



Passamos nossos dias recordando sempre de momentos e pessoas que marcaram nossas vidas e como sem querer, transformamos tais memórias em doces e simples laços de saudade. E falar de pessoas e momentos, nem sempre são simples, pois egoístas que somos, não conseguimos fechar portas sem deixar algumas janelas abertas.

Amizades, amores, grandes encontros e sem dúvida boas histórias em comum, sejam compartilhadas ou não, ainda sim, desejamos que nunca se acabe e que bons segundos se transformem em horas e que as horas se transformem em dias...paramos de contar quando nossos olhos descobrem o prazer em admirar os instantes.

Quantos abraços cabem em um simples sorriso?, bem meus amigos contam que possuo um sorriso largo e verdadeiro, talvez more aí a minha mais sincera sintonia com a vida: eu carrego comigo uma intensa vontade de viver cercada de abraços e por isso sorrio..o máximo que posso para cada uma dessas pessoas especiais que cercam minha rotina. 
Algumas destas estão longe, outras agarro diariamente; e como é bom saber que a vida nos presenteia todos os dias nos apresentando a outros e outros possíveis abraços.

Vivemos para nos encantar.

Eis aqui um paralelo nisso tudo: Há encontros na vida em que a verdade e a simplicidade são o melhor artifício do mundo e você passa a compreender que nada é mais significativo que ter pessoas que fazem a diferença ao seu lado e que estas nos presenteiam com um sentido muito mais que literal.
Eu acredito nas casualidades, nos encontros, nas passagens, nas conversas, nas músicas, em bons livros, no que somos e nunca deixamos de ser.
Eu acredito que podemos ser muito fortes, muito mais e que mesmo com todas as concordâncias e discordâncias podemos ser como todos e o tudo o que podemos ser capazes....não é mesmo?

Sim... do mundo nada se leva, mas é formidável ter uma porção de coisas a que dizer adeus, não é?

São tantos encontros e desencontros, a vida nos prega coisas que é impossível explicar mediante as palavras. A época em que pessoas entram em nossas vidas, pessoas que parecem mesmo que vão ficar por uma longa duração, parece mesmo um sonho, até por que sonhar é a palavra que escolho para descrever mediante a tudo que eu já passei até chegar aqui. 

A vida é assim e a cada dia ela nos propõe algo diferente, coisas inexplicáveis. A cada saída, a cada chegada, um novo recomeço, um novo rumo. É fato que no caminho nos machucamos, mais existe sempre algo nos surpreendendo com tudo, é preciso não exigir e compreender o acontecido já que somos seres humanos em busca de uma felicidade constante..mas inconstante na maioria do tempo.
Para alguns a caminhada começa cedo e seus momentos tristes não passam de um dia hoje em dia, fatos e detalhes ímpares.
Ainda sim, mesmo com essa irregularidade diária e pensamentos permeados de perguntas, não abrimos mão desta ambivalência em que estamos...

E no meio disso tudo ainda nos perguntamos se felicidade é a certeza de que a nossa vida não está se passando inutilmente...
...Eu certamente não aprendi a dizer adeus a nada disso.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu registro...