domingo, 31 de março de 2013

Solidão




Estar só é apenas uma percepção, apenas um estado de espírito.

Em um mundo repleto de pessoas, a solidão pode ser mesmo uma colisão de sentimentos e razões perdidas...para cada um...dentro de sí.


Imagine um mundo diferente, onde as concepções pessoais pudesse ser menos pesada, mas é nos momentos de pura falta de interação que descobrimos o poder de nossas atitudes, visualizamos o nosso interior.


Criamos uma sinergia com nossa força de pensamento e com ela aprendemos a desabrochar para um mundo novo, com possíveis e diferentes experiências.

Vivenciamos o que de fato devemos: sermos menos egoístas com nós mesmos.

Devemos ter o nosso tempo, de nos encostarmos para reavaliarmos o que temos feito. A vida nos cobra e será sempre assim, ela não possui parada.

Constantemente em rotação...indifente ao nosso desejo de lentidão, somos despertos em tempo real.

Talvez por isso queremos um tempo para nós. Sentimos uma necessidade emergencial de buscarmos nossa paz, seja ela compartilhada ou completamente só em um canto qualquer.


Queremos para hoje um agora tão imenso de paz interior.

A solidão é o preço que temos de pagar por termos nascido neste período moderno, tão cheio de liberdade, de independência e do nosso próprio egoísmo.

É isso; Fugimos das sensações quando possuimos medo dos próprios pensamentos.
Permita que sua solidão seja bem aproveitada, que ela não seja inútil. Não a cultive como uma doença, e sim como uma circunstância.

Em vez de tentar expulsá-la, habite-a com espiritualidade, estética, memória, inspiração, percepções. Não será menos solidão, apenas uma solidão mais povoada. Quem não sabe povoar sua solidão, também não saberá ficar sozinho em meio a uma multidão.

Ame seu tempo, respeite-se diante do seu silêncio.
Você desperterá para o mundo sempre....melhor.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu registro...