segunda-feira, 18 de março de 2013

Saudade





Uma vez me perguntaram o real significado da palavra saudade....
Na verdade nunca a aceitei por completa, justamente por ser tão interna ao nosso estado de espirito, ou até através de acontecimentos que passam pela nossa vida...inexplicáveis situações, culpamos o destino ou uma versão cotidiana de coinscidências.
Nos afastamos, somos afastados, tudo se vai ou não.
A saudade é implicita...que ironia.

Essa mesma ironia que hoje se aproxima de forma significativa..abre os olhos e se instala de maneira constante.
Existem milhões de formas de expressarmos tal rompante: sendo efusivos, contemplativos, indescritivelmente doces...arrebatamos a nós mesmos ao abraçar esse sentimento inexplicável, lúdico e imediato.

Talvez por isso seu significado seja crucial e indescritível.
Ele é um sujeito que de oculto não tem nada.

A transportamos no peito, somos o seu termômetro constante; subjulgamos nosso eu ao tentarmos explicar o que de fato deve permanecer subjetivo aos sentidos.
Razão e emoção misturadas a um doce e inigualável sabor.

A grande versão disso tudo esta descrita entre as linhas das notas de músicas que escutamos, frases que lemos, presenças que marcam, cheiros e sabores que registramos, sorrisos e lágrimas que presenciamos...guardamos para nós o que as pessoas nos apresentam.

Simplesmente mais que saudade, nos apaixonamos por todo o contexto.

A saudade é feita de momentos e eles passam tão depressa, por isso mesmo, quando a sentimos, abrimos portas interiores deixando-a iluminar qualquer ambiente, ela nos faz bem, nos resgata e nos arremessa de volta para dentro de nós.
Ela é a nossa alma dizendo para onde ela quer voltar.

E estamos sempre querendo voltar...não é?
É como a frase de Mario Quintana que diz: 
O tempo não pára, só a saudade é que faz as coisas pararem no tempo...

Essa falta de descrição....se fosse literal certamente causaria menos.

E é por isso que eu tenho mais saudades...
Porque encontrei uma palavra para usar todas as vezes em que sinto este aperto no peito,meio nostálgico, meio gostoso,mas que funciona melhor do que um sinal vital
quando se quer falar de vida e de sentimentos.

Ela é a prova inequívoca de que somos sensíveis!
De que amamos muito o que tivemos e lamentamos as coisas boas
que perdemos ao longo da nossa existência...



Um comentário:

  1. "E é por isso que eu tenho mais saudades...
    Porque encontrei uma palavra para usar todas as vezes em que sinto este aperto no peito,meio nostálgico, meio gostoso,mas que funciona melhor do que um sinal vital
    quando se quer falar de vida e de sentimentos." Texto que nos comove a leitura e nos traz o prazer da reflexão."
    Simplesmente mais que saudade, nos apaixonamos por todo o contexto." exato

    http://cartasmentirosas.blogspot.com.br/2012/10/saudade-e-amor.html

    ResponderExcluir

Deixe seu registro...