quinta-feira, 7 de março de 2013

Despedidas


"Porque eu só preciso de pés livres, de mãos dadas, e de olhos bem abertos".
Guimarães Rosa

Como dizer um imenso adeus se um breve até logo já diz muito?. 
Acenamos para os acontecimentos, dizemos tanto, rimos com o coração, uma imensa e total sintonia...casualmente adormecida em uma confortável almofada entre cheiros e sabores.

Assim são as pessoas e todo o seu singularimo que assistimos seguir adiante.

Elas chegam...fazem parte de nós por um determinado tempo...e se vão.
Fisicamente implícito...as sensações e recordações permanecem e certamente ficarão guardadas em uma gaveta...aquela que visitamos de vez em quando para termos a certeza de que encontraremos não apenas recordações, mas uma breve presença.

A chamada..presença da ausência.

Despedidas nunca são fáceis, elas absorvem um pedaço muito grande, justamente por ser fria, imparcial e determinada...elas sempre levam um pouco de nós.
Permanecemos calados, vislumbrando e recordando o que por pouco tempo preencheu um espaço finito e absolutamente desconhecido.
Damos desculpas para uma singela dor que causa...queremos ultrapassar esse mal estar, um possível nó na garganta...

E como é grande o poder em deixarmos nossa sintonia em uma balança, ela sempre penderá para o lado mais fraco: o da saudade.

Mas juntamente com essa despedida que chega, concluimos que o que é eterno não desaparece... doces recordações.
Compartilhamos uma amizade, doce e apaixonante.

Registramos...fotografamos as pessoas para eternizarmos seus momentos.

Sorrisos, doces travessuras, olhares...fulgases.
Essa incrivel e completa satisfação...refletidas por entre um céu rosado ou até em uma boa e noite qualquer.

Meu universo tão particular permanece feliz e com ele proclamo apenas um pedido: saia e conquiste o mundo...vivendo já... é isso que viémos fazer aqui: nos apaixonarmos pela vida e nos arrebatarmos com as surpresas que ela nos traz.

Doce e completamente despretensiosa...como uma boa e singular taça de vinho.

Segue o teu destino...
Rega as tuas plantas; 
Ama as tuas rosas. 
O resto é a sombra 
de árvores alheias

Uma música:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu registro...