quarta-feira, 6 de fevereiro de 2013

Silêncio

 
Certa vez me falaram que o silêncio é uma resposta involuntária da alma... será isso um sinal de que estamos fugindo de nós mesmos ou apenas uma mera "coincidência" das desculpas que inventamos?. 

Algo que não deveria ser tão palpável...alternativa.

Junto com o silêncio; caminha a ansia...uma ansia em tentarmos expor muito mais do que compreendemos, externar uma incrível e crescente verdade, sejam elas direcionadas ou apenas cruas como a concepção. No silêncio o que impera é a realidade absoluta.


Vigiamos demais nossos sentidos, encobrimos nossa persistência primitiva...em nome de uma brisa que possa nos acalmar diante de uma avalanche de acontecimentos surpreendentes, ou que poderiam se tornar...algo.

Fechamos os olhos, nos concentramos em permanecer distantes..tudo em busca do razoável e implacável silêncio. Será mesmo que conseguimos deixar tão transparente alguma razão?

O mais incrível nisso tudo é que quanto mais nos calamos, mais vozes parecem surgir...como um grito nos expondo em um alerta constante. 

Não há respostas diante do óbvio.  

Feche os olhos...contemple suas opções, afinal: o pensamento trabalha no silêncio e a virtude no segredo.
No fim, teremos sempre as palavras não ditas... 

O silêncio é uma confissão...ponto.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu registro...