quinta-feira, 27 de dezembro de 2012

O recomeço



A simplicidade do acaso pode se tornar uma fugaz resposta a nossa expectativa diante da vida, sim...diga-se de passagem que andamos em direção contrária algumas vezes, mas seguimos em frente sem olharmos para trás.

Percorremos um longo percurso até aqui, não é?


Medimos nossos passos como quem escolhe uma roupa certa, nos olhamos no espelho procurando encontrar uma imagem muito mais acertiva..dizemos para nós mesmos com uma credulidade infinita...tudo há de ficar bem.



Não importa onde você parou…em que momento da vida você cansou…
O que importa é que sempre é possível e necessário “Recomeçar”.
Recomeçar é dar uma nova chance a si mesmo…
É renovar as esperanças na vida e o mais importante…
Acreditar em você de novo.
Sofreu muito nesse período?
foi aprendizado…
Chorou muito?..foi limpeza da alma…
Ficou com raiva das pessoas?
Foi para perdoá-las um dia…
Sentiu-se só por diversas vezes?
É porque fechaste a porta até para os anjos…
Acreditou que tudo estava perdido?..era o início da tua melhora…
Pois é…agora é hora de reiniciar…de pensar na luz…de encontrar prazer nas coisas simples de novo.
Que tal um corte de cabelo arrojado…diferente?
Um novo curso…ou aquele velho desejo de aprender a pintar…desenhar…dominar o computador…
Ou qualquer outra coisa…
Olha quanto desafio…quanta coisa nova nesse mundão te
esperando.
Tá se sentindo sozinho?
besteira…tem tanta gente que você afastou com o seu “período de isolamento”…Tem tanta gente esperando apenas um sorriso teu para “chegar” perto de você.
Quando nos trancamos na tristeza…nem nós mesmos nos suportamos…
Ficamos horríveis…o mal humor vai comendo nosso fígado…até a boca fica amarga.
Recomeçar…hoje é um bom dia para começar novos desafios.
Onde você quer chegar? ir alto…sonhe alto… queira o melhor do melhor… queira coisas boas para a vida… pensando assim trazemos prá nós aquilo que desejamos… se pensamos pequeno…coisas pequenas teremos…
Já se desejarmos fortemente o melhor e principalmente lutarmos pelo melhor…
o melhor vai se instalar na nossa vida.

E é hoje o dia da faxina mental…
joga fora tudo que te prende ao passado… ao mundinho de coisas tristes…fotos…peças de roupa, papel de bala…ingressos de cinema, bilhetes de viagens… e toda aquela tranqueira que guardamos quando nos julgamos apaixonados… jogue tudo fora… mas principalmente… esvazie seu coração… fique pronto para a vida… para um novo amor… Lembre-se somos apaixonáveis… somos sempre capazes de amar muitas e muitas vezes… afinal de contas… Nós somos o “Amor”…

” Porque sou do tamanho daquilo que vejo, e não do
tamanho da minha altura."

sexta-feira, 14 de dezembro de 2012

Pegadas



Quem conhece a sua ignorância revela a mais profunda sapiência.
Quem ignora a sua ignorância vive na mais profunda ilusão.
(Lao-Tsé)


Andamos muito, nos apressamos demais.

A certeza de que não possuimos controle da vida se manifesta de diferentes formas e contextos; e quando frear nos evidencia sermos insconstantemente impossibilitados... mais humanos do que máquinas aceleradas, brecamos diante do tempo, frente ao vazio que atravessamos correndo.

Passos largos ou até mesmo pegadas irregulares.

Nos comportamos como loucos, olhamos para todos as direções buscando alternativas,estapafúrdias e infundadas razões que nos mantenha no caminho, uma rota ocasionalmente confortável. Seguimos o restrito sinal verde, aquele que colocamos na rota superficial de nossas vidas.

Andar descalço nem pensar?, escolhas pessoais.
Pisamos com força, dominamos o território que construímos ao nosso redor, subimos muros diante de emoções, desperdiçamos a razão simplesmente por julga-la dona de nossa visão.
Continuar desviando ainda é a melhor maneira de cegarmos as oportunidades que encontramos no caminho.

Porém, tudo tem um limite de ser.
E quando olhamos para frente e visualizamos a análise que fazemos de nosso comportamento, tão estupidamente calculado é que compreendemos a necessidade de sermos menos analíticos com os nossos sentimentos e condutas diante da vida, ela nos arrebata quando estamos um instante vulnerável...nos breca e nos faz contar as pegadas que construímos e aquelas que subitamente desviamos de nossa direção.

Começa-se então a saborear os riscos, enxergar entre as frestas que lutamos em cegar; afinal a saga de um homem encontra-se justamente nisso: contemplar.
Se tudo possui um movimento central, constatamos que uma hora voltamos ao centro de tudo e reiniciamos nossos passos de maneira mais leve, o ciclo volta a girar de maneira mais compassada, não pisamos, flutuamos.
E assim reinventamos o caminho, transformamos experiências em uma renovada jornada:
Andar e correr se tornam sabores impares para a vida, um toque sutil, mas incrivelmente arrebatador: transformar marcas em passos e passos em pegadas.

quarta-feira, 12 de dezembro de 2012

O mundo



Limitemos os sonhos...eles rondam demais a realidade.
Se o mundo é paralelo a nossas escolhas, precisamos saber conduzir nossas opções e seguir em frente, seja para qual direção for.

Paramos demais frente a inúmeras vontades, queremos... quando o devemos deve ser de fato a única vertente a que permanecemos invariavelmente jogados.
Fala-se muito em administrar tempo e pouco em negociar com ele....

Calar-se nunca foi uma saída para as mentes viajantes, mas assim como as palavras tem poder, as atitudes tem peso. Pois então cria-se um mundo paralelo, aquele em que os mudos conseguem gritar para todos os cantos. Lá está o bom e velho dejavu, aquele que invariavelmente surge nos momentos de desapego.

Toda essa sutileza que nos faz perceber, é a mesma que nos ensina quando preencher se torna a única saída pertinente que encontramos por entre os caminhos que traçamos.
Somos um monte de soluções esquecidas, tempo é mesmo uma raridade nos dias de hoje.
Nada mais importa se não o eu guardado a sete chaves.
E quando pensamos que nada mais poderia dar errado, eis que surgem as surpresas e seus incontestáveis cenários.

Aprender, compreender, aceitar .
Verbos inconsistentes, porém uniformes. Essa maioria, mesmo que em uma imensidão vazia, conduz, impulsiona, até mesmo imerge frente a rotina diária que devemos permanecer conectados. Lá se vai a chance, permanece o bom senso.
Real...inclino-me a acreditar.

"A minha consciência tem milhares de vozes e cada voz traz-me milhares de histórias;e cada história sou o vilão condenado".
Willian Shakespeare

domingo, 9 de dezembro de 2012

A graça da vida



A cada dia percebo o quanto empregamos energia em pequenos acontecimentos...e esquecemos de nos aquecer sobre os grandes saltos da vida.
A graça está em sermos menos egoístas com nós mesmos, contemplarmos pequenos atos e nos afastarmos da tristeza....colocando-a em um lado pouco "frequentado" por nós mesmos. Tal garantia nos assegura de nos debruçarmos sobre os momentos de fraqueza, onde as lágrimas são respostas aos apelos que insistimos em prolongar.
Devemos deixar de ser hipócritas...a hipocrisia alimenta o ego e nos afasta de nossa essência.

Pequenos gestos fazem uma grande diferença...afinal...
Recebemos a vida de presente e devemos absorve-la por inteiro.

Ninguém sabe ao certo qual o propósito em sermos tão ambivalentes, mas essa inconstância é o que alimenta nossos instintos. Primitivamente ainda caminhamos ao contrário...ok...mas mesmo assim, evoluímos com nossos pensamentos e atos alheios a nossa vontade.
Devemos rir mais, chorar mais, caminhar mais, respirar com mais fervor.
Suspiros garantem que nossos sinais vitais permaneçam em alerta, deixando-nos com um sentimento contínuo de saudade.

E como é bom sentir saudades...

A graça da vida consiste em sermos nós mesmos...singularmente falando. Com nossa inquietude e alegria por cada descobrimento diário, esteja você na flor da idade ou apenas redesenhando seus passos.
Continue fazendo amigos...eles são um elo com o divino, desperte mais cedo e contemple os segundo preciosos...descanse o corpo e não o espírito.

Lembre-se: Você é aquilo que veio destinado a ser: ÚNICO.

Perdoe-me, mas cito Veríssimo:
"O mundo é como um espelho que devolve a cada pessoa o reflexo de seus próprios pensamentos.
A maneira como você encara a vida é que faz toda diferença".


Fica aqui meu suspiro...:

Dez Coisas que Levei Anos Para Aprender.

1. Uma pessoa que é boa com você, mas grosseira com o garçom, não pode ser uma boa pessoa.

2. As pessoas que querem compartilhar as visões religiosas delas com você, quase nunca querem que você compartilhe as suas com elas.

3. Ninguém liga se você não sabe dançar. Levante e dance.

4. A força mais destrutiva do universo é a fofoca.

5. Não confunda nunca sua carreira com sua vida.

6. Jamais, sob quaisquer circunstâncias, tome um remédio para dormir e um laxante na mesma noite.

7. Se você tivesse que identificar, em uma palavra, a razão pela qual a raça humana ainda não atingiu (e nunca atingirá) todo o seu potencial, essa palavra seria "reuniões".

8. Há uma linha muito tênue entre "hobby" e "doença mental".

9. Seus amigos de verdade amam você de qualquer jeito.

10. Nunca tenha medo de tentar algo novo. Lembre-se de que um amador solitário construiu a Arca. Um grande grupo de profissionais construiu o Titanic.