terça-feira, 11 de setembro de 2012

Pessoas



Se refere a seres com auto-consciência; Logo todos os animais, inclusive os seres humanos, são pessoas.


Nós cruzamos milhares, se não centenas de pessoas e nem sequer nos damos conta do quanto podemos nos surpreender pela frente.
Absolutamente nada igual e todo mundo junto ao mesmo tempo...assim pontuo essa exclamação de seres que dia após dia se fazem presentes nesta singularidade adquirida.
Puxa vida, quanta vida.

Mas diante de todo este potencial, existe um ser que radicalmente exposto se manifesta de forma pluralista em todo segundo deste caos atemporal: eu.
E não é que é isso mesmo?

O ser pelo ser: onde há pessoas, há possibilidades infinitas de conhecimento.
Compartilhar muito mais do que apenas adquirir.
Simples assim?, creio que não, mas esta é a beleza da incerteza; justamente a descoberta em cada etapa do caminho; elas se tornam ímpares.

Olhares, gestos, hábitos, esquisitices, costumes...uma mistura de comportamentos inusitados.
Pessoas e não seres, uma justificada cláusula da existência.
É preciso uma dose extra de calma para compreendermos nosso vinculo a um único contexto neste mundo: verdade, muito mais que antes e certamente menos que amanhã.

Precisamos ser reais, imediatos e consistentes.
Celebremos a nós como um todo.

A minha preocupação não está em ser coerente com as minhas afirmações anteriores sobre determinado assunto, mas em ser coerente com a verdade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu registro...