segunda-feira, 10 de outubro de 2011

Rótulos

Na vida criamos rótulos ou apenas deixamos de viver por nós mesmos?
Nascemos com um propósito de sermos felizes, buscamos pela perfeição, mas falhamos em não admitir que perfeição é apenas um estado de espírito e não uma forma concreta de permanência.
Seguimos em frente com uma ideia pré-concebida de transformações, lendas e glórias...

Mesmo com todas as dúvidas e questionamentos, não deixamos de acreditar em forças, razões e todas as sustentabilidades possíveis. Humanizamos situações caóticas, rotulamos padrões.
É preciso força e determinação para criarmos nossa identidade, estabelecermos uma pisada neste mundo...sem isso, somos apenas bonecos sendo conduzidos por ventríloquos.

E quantos bonecos andam vagando por aí...incontestáveis criaturas certas de sí.

Identidade é o espelho da alma, tenha a sua e seja exclusivo. Não possua máscaras, pois a verdade é o único caminho para sua felicidade.

Há os que dão pouco do muito que possuem,
e fazem-no para serem elogiados, e seu desejo secreto desvaloriza suas dádivas.
Há os que pouco têm e dão-nos inteiramente.
Esses confiam na vida e na generosidade da vida e seus cofres nunca se esvaziam.

Há os que dão com alegria e essa alegria é sua recompensa.
Há os que dão com pena, e essa pena é seu batismo.
E há os que dão sem sentir pena, nem buscar alegria e sem pensar na virtude.
Dão, como num vale o mirto espalha sua fragrância no espaço.
Pelas mãos de tais pessoas Deus fala;
e através de seus olhos...
Ele sorri para o mundo.