sábado, 30 de julho de 2011

Referências



Referências são como pegadas que deixamos no mundo... curtas,espaçadas...fortes.
Para algumas pessoas o vazio as define, para outras o muito ainda é pouco.
Um certo tipo de quebra cabeças... vivemos desvendando nossas pegadas, tentando nos encaixar em um sistema cíclico..contínuo.

Existem dúvidas sobre o poder que possuímos sobre nós mesmos, nossa verdade pessoal.

Imagine um livro aberto que preenchemos com histórias e memórias, estas que recebemos e doamos, somos intencionalmente arremessados.
Batemos de frente, tentamos fugir, escapar...mas a vida se encarrega de desabrocharmos para um ímpar interior, aquele que surge quando estamos desavisados.
Ninguém procura compreender suas raízes até sentir o chão se abrir e não ter onde se segurar.

Existem e sempre existirão exemplos, não se pode viver sem eles.
Exemplos são como vento que varrem os segundos, tão rápido que não conseguimos segurar.
Assim são os sopros que recebemos...sua força intensa e sublime nos mostram como devemos escrever nossa história, mesmo que perdure como uma ventania fora de hora e lugar, assim chegando e desaparecendo.
E isso não é fugaz a ponto de você compreender sua existência tão querida?

O que importa de verdade é que você se encaixe dentro deste seu universo paralelo, pois por mais que tenhamos vontade plena de estarmos dentro de um conjunto, somos uma união ímpar de razões e sensibilidades atribuídas. E nada nem ninguém pode tirar o que lhe foi concedido por suas raízes interiores.
Aproveite esta brisa leve e flamejante com seus sabores intensos e texturas inconcebíveis para aceitar que as referências servem de sombra para o caminho que percorremos e dentro desta mistura, somos um objeto relutante que insiste em permanecer, e que nesta verdade absoluta saber como nos despedir do passado faz parte desta encruzilhada chamada vida.

Desconsidere acelerar, calma ainda o remédio mais prudente que devemos nos esbaldar.

Ninguém está preparado para o deserto de dúvidas, nem tão cheios de si a respeito dos lagos de certeza...metáforas sempre existirão, sabia?
Então aprenda a escutar mais do que falar, observar mais do que olhar e acima de tudo reverencie suas raízes, pois são elas as responsáveis pela criação de sua verdadeira essência.
Você é tudo aquilo que vem de muito tempo, um tudo complexo e cheio de vontades e desejos, manias e teimosias, suas digitais carnais.
Você sabe bem quantas portas tem o seu coração ou quantos caminhos possui o seu labirinto?

Assuma o controle de sua existência e deixe portas abertas, pois elas certamente trarão novas possibilidades e infinitas dúvidas para você seguir em frente.
Não tenha medo de dizer adeus, pois a vida que se encerra traz outras milhares e cada pessoa sempre doa um pouco de si, não é? e nesta profundidade, seguir em frente é muito mais que um plural, porém não se surpreenda se de vez em quando se deparar com algo tão incrivelmente similar, são os ventos que voltam trazendo o doce perfume daqueles que já se foram.

Assim são as referências, os espelhos, a essência.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu registro...