sexta-feira, 22 de abril de 2011

Fatos



Tempo e limite...

Um limiar curvo, porém contínuo de possibilidades e fatos concretos.

Sentimos demais ou presenciamos com uma intensidade menor?


Essa intensidade absoluta que insistimos em desviar, é a compressora força que carregamos sem perceber. Buscamos acontecimentos; mas esquecemos de nos entregar quando eles aparecem.

Um medo incondicionalmente racional.


Que força é essa que nos faz medir os passos que tanto queremos dar?, o seguro e o ideal dificilmente caminham de mãos dadas. Por isso arriscar ainda é o maior salto que devemos nos permitir.


Na vida ou você se propõe...ou...

Boas lições são aquelas que tiramos de situações inesperadas...um feliz e satisfatório encontro com o acaso.

Quem foi que disse que devemos cumprir uma jornada baseada em exemplos?. Seguramente foi o mesmo tolo que viveu sem ao menos existir.


Cada um pode e deve ser o que bem quiser, afinal, por mais cliché que se possa parecer, ninguém está aqui para sofrer.

Mas ainda é muito difícil conquistar compreensão diante de um mundo tão seguramente cruel.

Uma mistura fatalmente heterogênea.


Fato: precisamos nos encontrar antes de mais nada e aprender a deixar de lado paradigmas alheios como exemplos de conduta / postura.

Saber como e onde dizer não, você sabe?

Um bom começo para uma mente no mínimo confusa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu registro...