quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

Um lugar chamado destino

Lá está o nosso destino...
Plantamos sementes ou apenas criamos raízes?
Recebemos sinais a todo momento; nosso radar funciona como um alerta que dispara e nos apresenta: parar, escutar, perceber - escutar.

Destino diz respeito a ordem natural estabelecida do universo. Geralmente é compreendido como uma sucessão inevitável de acontecimentos provocados ou desconhecidos.
Explicamos o destino como o absurdo dos acontecimentos existenciais, assim também, como a responsabilidade dada as divindades para tais acontecimentos. - Será de fato verdade, ou uma desculpa para as respostas que insistimos em nos permear?

Nos aprofundamos como raízes, cedemos espaço para dúvidas internas.
Brecamos nosso ímpeto.
Nos desviamos demais de nossa intuição...
E nesse emaranhado perdido de raízes, nos encostamos e ficamos atados com seus nós.

Talvez não haja um traço certo onde possamos caminhar de maneira plena e segura, mas certamente existe uma linha imperceptível e coerente que nos liga ao desejo de sermos o que viemos para ser: felizes.
Destino você cumpre e vida você descobre.

"Costumamos ridicularizar o simples e precisamos fazer nosso ego correr o mundo.
Comprar os livros mais caros, pagar os cursos mais excêntricos ou desistir, para depois se dar conta que o Destino não erra nunca".
Jordan Campos

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu registro...