sábado, 26 de fevereiro de 2011

O MENSAGEIRO DO MILAGRE

Perda é um sinônimo humilde para saudade...

De sentimentos puros e profundos que jogamos ao vento esperando um arco de luz...

De infinitos sonhos que jogamos para o destino, evocando acontecimentos ímpares...

De cruciais palavras que nos aguarda ao final de uma jornada cumprida.

A vida é mesmo um presente para aquele que soube o real e ímpar significado de estar presente e de frente para ela. Tudo que conhecíamos torna-se plural, pois a partir de hoje seremos singulares para o resto de nossos dias.

A felicidade que realizamos será uma lembrança diante de tudo que ainda está por vir, assim disse nosso mensageiro.

A beleza da vida será uma inesgotável fonte de inspirações…

Não será apenas viver, mas certamente estar presente.

Saudações, sorrisos, cumprimentos, abraços - energia que renasce e se renova.

O milagre que perpetuas hoje é o reflexo de um brilho sem fronteiras, plantado em nossos corações como grandes e perpétuas raízes. Felizes de nós que fizemos parte de sua jornada, onde pudemos aprender o verdadeiro significado da palavra amizade e perseverança.

Que nossos corações continuem se emocionando e que juntos possamos cumprir o traçado infinito que deixaste sobre nossa trilha.

E como dizia Fernando Pessoa:

Tenho em mim todos os sonhos do mundo..

Assim ensinou, assim mostrou, assim aconteceu .

quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

Um lugar chamado destino

Lá está o nosso destino...
Plantamos sementes ou apenas criamos raízes?
Recebemos sinais a todo momento; nosso radar funciona como um alerta que dispara e nos apresenta: parar, escutar, perceber - escutar.

Destino diz respeito a ordem natural estabelecida do universo. Geralmente é compreendido como uma sucessão inevitável de acontecimentos provocados ou desconhecidos.
Explicamos o destino como o absurdo dos acontecimentos existenciais, assim também, como a responsabilidade dada as divindades para tais acontecimentos. - Será de fato verdade, ou uma desculpa para as respostas que insistimos em nos permear?

Nos aprofundamos como raízes, cedemos espaço para dúvidas internas.
Brecamos nosso ímpeto.
Nos desviamos demais de nossa intuição...
E nesse emaranhado perdido de raízes, nos encostamos e ficamos atados com seus nós.

Talvez não haja um traço certo onde possamos caminhar de maneira plena e segura, mas certamente existe uma linha imperceptível e coerente que nos liga ao desejo de sermos o que viemos para ser: felizes.
Destino você cumpre e vida você descobre.

"Costumamos ridicularizar o simples e precisamos fazer nosso ego correr o mundo.
Comprar os livros mais caros, pagar os cursos mais excêntricos ou desistir, para depois se dar conta que o Destino não erra nunca".
Jordan Campos

sábado, 19 de fevereiro de 2011

Com carinho ao amigo



Dedico este ao amigo Fábio Yoshimoto.
Amigo querido, vá em paz.
A SAGA CONTINUA


Se eu morrer antes de você, faça-me um favor:

Chore o quanto quiser, mas não brigue com
Deus por ele haver me levado.

Se não quiser chorar, não chore.
Se não conseguir chorar, não se preocupe.
Se tiver vontade de rir, ria.

Se alguns amigos contarem algum fato a
meu respeito, ouça e acrescente sua versão.
Se me elogiarem demais, corrija o exagero.

Se me criticarem demais, defenda-me.
Se me quiserem fazer um santo, só porque morri,
mostre que eu tinha um pouco de santo, mas
estava longe de ser o santo que me pintam.

Se me quiserem fazer um demônio, mostre que
eu talvez tivesse um pouco de demônio, mas
que a vida inteira eu tentei ser bom e amigo.

Espero estar com ele o suficiente para continuar
sendo útil a você, lá onde estiver.

E se tiver vontade de escrever alguma coisa
sobre mim, diga apenas uma frase:
"Foi meu amigo, acreditou em mim e me quis
mais perto de Deus!"

Aí, então derrame uma lágrima.
Eu não estarei presente para enxugá-la, mas
não faz mal. Outros amigos farão isso no meu lugar.

E, vendo-me bem substituído, irei cuidar de
minha nova tarefa no céu.
Mas, de vez em quando, dê uma espiadinha
na direção de Deus.

Você não me verá, mas eu ficaria muito feliz
vendo você olhar para Ele.
E, quando chegar a sua vez de ir para o Pai, aí,
sem nenhum véu a separar a gente,vamos viver,
em Deus, a amizade que aqui nos preparou
para Ele.

Você acredita nessas coisas?

Então ore para que nós vivamos como quem
sabe que vai morrer um dia, e que morramos
como quem soube viver direito.

Amizade só faz sentido se traz o céu para
mais perto da gente, e se inaugura aqui mesmo
o seu começo. Mas, se eu morrer antes de
você, acho que não vou estranhar o céu..
Ser seu amigo... já é um pedaço dele..."

sexta-feira, 11 de fevereiro de 2011

Horizonte


"Vivemos todos sob o mesmo céu, mas nem todos temos o mesmo horizonte"

Gosto de pensar que caminhas com o dia, com o suor das horas quentes e, acompanhas o cansaço dos fins de tarde... anunciando que por hoje é só.
Gosto de pensar que segues, passo a passo, a alegria da humanidade quando sentem que criaram, produziram, geraram, fizeram o mundo melhor, mais justo, mais bonito, mais rico, mais irmão.

E eu começo agora esta jornada, pensando nisso tudo e apenas agradeço. Agradeço porque acompanhas nossos dias, com seus prantos, seus clamores, seus gritos de dor e não deixas nenhum deles acontecer em vão.

Agradeço porque caminhas conosco as nossas horas e Te ris, assim, alegre e deslumbrando, com nossas vitórias, as superações das dificuldades, as derrotas, mesmo sutis, das injustiças, a inexpugnável, a rebrotante esperança ; a noite que repousa os homens e recria as miúdas e sempre novas alegrias da vida.

Liberdade de voar num horizonte qualquer, liberdade de pousar onde o coração quiser.
Assim se faz, assim é.

domingo, 6 de fevereiro de 2011

O mensageiro

Eu compreenderei o meu caminho...
O tempo é mesmo um aliado, estímulos e visualizações sobre a compreensão e respostas pouco automatizadas.

Não há tempo ou mesmo interpretação ineficaz capaz de brecar tentativas e erros. Aquele que involuntariamente está presente, ou sempre apontando em qualquer ocasião inversa da razão.Somos todos mensageiros, pouco além do compreensível, mas completamente onipresentes diante da vida.

Entre um passo e outro, paradas obrigatórias, aspirações...seríamos apenas mais uma sombra entre tantos altos e baixos do caminho?, por que não?, estamos aqui de passagem e nada além.
O significado ainda mesmo que desconhecido, torna-se no mínimo curioso. Desperdiçamos dias e noites buscando alternativas paralelas que nos façam no mínimo mais interessantes ou menos bestas.
Enxergamos demais com olhos alheios, andamos com os braços cruzados, caminhamos de cabeça baixa e respondemos nossas questões espelhando monstros em nossos semelhantes. Assim caminha a humanidade e seu interminável egoísmo...e eu aqui desvendando sentidos.

Se cada ser humano for responsável em aceitar e aprender com seus erros e acertos, certamente teremos um espaço menos questionável e pouco vazio.
Precisamos conviver sem garantias. Cabe a cada um de nós aceitar o que nos é dado, com medos e aflições. Não se pode fugir ou mesmo pular quaisquer cobranças e deveres.
Somos e fomos feito para arrebatar o desconhecido.

Nem todos visualizam a vida com suas curvas. Pensam que a verdade está em conhecer pessoas e com elas escrever uma trajetória. Ledo engano, é preciso apenas duas mãos para construir uma história.

Continuemos a passar e pensar adiante.

Quando a felicidade falha, a existência torna-se uma louca e lamentável experiência.
George Santayana, 1863-1952.