sábado, 18 de dezembro de 2010

Por um infinito um pouco melhor...


"Se não fosse pelo ultimo minuto, muita coisa ficaria sem fazer-se".


Tudo o que precisamos está na palma de nossas mãos - repleta e cheia, o que de bem vier para o bem.

As pessoas ainda acreditam que o mundo é apenas um lugar comum onde pode-se usufruir frutos e imagens, colher sem ao menos agradecer ou compreender por tanta existência suprema. O amor não é um jogo de conquistas, mas uma doação constante de desapego.

Certas imagens ficam na memória como um filme que gravamos ; optamos por muitos instantes de prazer e poucos de intensidade; trocamos ao invés de compartilhar.
Será mesmo um sinal de que estamos perdendo os sentidos de direção?
O mundo e suas aspirações cotidianas.

Nunca foi tão simples imaginar-se um pouco melhor, nunca foi tão pequeno o gesto de ser mais humano com as pessoas, com nós mesmos.
A cada ano, perdemos um pouco de essência, de veracidade constante e tal como, menos vontade em melhorar...apenas seguimos em frente.

O que está faltando é um direcionamento, visualizar e começar a compreender que a vida é um presente caro que nos será cobrado lá na frente. Depositamos e canalizamos energia em situações carentes, somos assim e seremos até o fim.

O caminho da vida pode ser o da liberdade e da beleza, porém nos extraviamos.
A cobiça envenou a alma dos homens, levantou no mundo as muralhas do ódios e tem-nos feito marchar a passo de ganso para a miséria e morticínios.

Criamos a época da velocidade, mas nos sentimos enclausurados dentro dela. A máquina, que produz abundância, tem-nos deixado em penúria.
Nossos conhecimentos fizeram-nos céticos; nossa inteligência, empedernidos e cruéis. Pensamos em demasia e sentimos bem pouco.

Mais do que de máquinas, precisamos de humanidade. Mais do que de inteligência, precisamos de afeição e doçura. Sem essas virtudes, a vida será de violência e tudo será perdido.
Tentar tornou-se uma inspiração; não acha?
Mas essa é uma chance que concedemos ao nosso espírito, nosso ser e; portanto uma vírgula entre tantos pontos que estabelecemos como final.

" A vida me ensinou a dizer adeus às pessoas que amo, sem tirá-las do meu coração, sorrir às pessoas que não gostam de mim, para mostrá-las que sou diferente do que elas pensam, calar-me para ouvir, aprender com meus erros, afinal, eu posso ser sempre melhor!
Fazer de conta que tudo está bem quando isso não é verdade,
para que eu possa acreditar que tudo vai mudar, a abrir minhas janelas para o amor.
E não temer o futuro, a lutar contra as injustiças.
Sorrir quando o que mais desejo é gritar todas as minhas dores para o mundo.
Fazer de conta que tudo está bem quando isso não é verdade.
Para que eu possa acreditar que tudo vai mudar".
Charles Chaplin

Pense nisso e comece a riscar os traços de sua vida agora, amanhã pode mesmo ser um pouco tarde. O demais é somente um lampejo de desejos, portanto se você acreditar que faz parte de um todo, estará não apenas começando a compreender que não estamos aqui a toa, mas enxergando que as cores que escolhemos mudam as formas e direções.

Bom final de ano para todos e obrigada por mais um ano de aprendizado mútuo.

2 comentários:

  1. Feliz ano que já tá aí! Adoro este blog!!! beijo!!!!

    ResponderExcluir
  2. Feliz año desde Barcelona amiga !!
    Felicidad con Fer !!!
    ;D

    ResponderExcluir

Deixe seu registro...