quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

Acertar é uma questão...


No ciclo de questionamentos, falta o conceito do chamado acerto.
Para muitos, acertar ainda é o principal causador que as faz chegar em alguma conclusão, satisfatória ou não, o pouco permanece como imediato.

Talvez o mais sensato seja descrever o acerto como uma possibilidade de mudança, uma queda nas crenças em verdades absolutas que nada nos remetem ao correto, mas que invariavelmente preservamos.
Nunca é tarde para ajustas as arestas, ou cedo demais...tentar é apenas um simples apelo.

Não existe equilíbrio, ou uma dose única de coragem, o que de fato permanece é a intenção de fazer o que nossa intuição nos alerta, tentar ser um pouco menos egoístas com nossas escolhas e mais altivos com nossas atitudes.
Quem disse que acertar é fácil?, mas é preciso ir de frente, abaixar a cabeça não ajuda em nada para melhorarmos como ser humano.

O acerto é individual, mas implacavelmente coletivo. Ninguém está só, por mais ímpar que se viva. E isso, meu caro, é tão inevitável quanto tentar se esconder diante do espelho.
Vivemos tentando nos adaptar ao correto, porém nem sempre conseguimos estabelecer regras coerentes; somos demais convergentes.

Julgamos demais, pensamos demais, acertar não pode ser um rompante de intransigência.
Erramos muito, inexplicavelmente tentando acertar, e assim seguimos diariamente facilitando um pouco essa inclonclusão a que nos "julgamos".
Passivamente?; pode-se dizer que não.

Está aí outra forma de compreender esta questão: acertar nem sempre foi, mas com certeza será sempre a interrogação.

Um comentário:

  1. acertar é realmente o objetivo, conclui-lo é a dúvida. Power texto, linda!

    ResponderExcluir

Deixe seu registro...