quinta-feira, 30 de setembro de 2010

Verdades


Ao menos uma vez todo ser humano cometeu ou cometerá um erro injustificável, uma instransigência pessoal, um descuido tipicamente estúpido em nome da razão pessoal.
Será que conseguimos lidar de frente com isso ou estamos apenas vivendo em nome de um paradigma social?

Ainda estamos nos acostumando a conviver com nossas próprias escolhas e constatar que nem sempre concordar implica em acertar. Essa dose de otimismo que estamos acostumados a aceitar e pegar um pouco emprestado de outros; por que não?

Fragilmente nos colocamos a deriva para enfrentarmos as próprias questões.
Somos mais dúvidas que certezas. Infindáveis motivos para dizer não, quando apenas um sim pode iniciar uma jornada de conhecimentos e conquistas.
Mas de uma coisa não temos como fugir: Nossa alma está onde nosso espírito se aquieta.
Nem sempre unimos os dois, mas tentar já é por sí só uma verdade arrebatadora.

Jogamos para o alto aquilo que queremos que aconteça. Nossas atitudes tem uma força muito grande; por isso é fundamental desejarmos coisas boas: teremos de volta tudo aquilo que lançarmos aos outros.

Saber deixar de lado certos pre-conceitos e começar a olhar a nossa vida por um ângulo menos pesado...
Existe aí um degrau muito tênue entre a razão e a sensibilidade;outra verdade passível de erro - nem sempre tudo é fácil, outras vezes complicamos muito.

Mas uma coisa é muito real:
Cada bocado de mim é fruto daquilo que colhi de todas as pessoas que encontrei na vida.
Completamente inegável com certeza...

2 comentários:

  1. Quando conseguirmos sublimar nossos preconceitos, perdoar nossos erros, teremos a maturidade.
    Só espero que não caiamos da árvore.

    ResponderExcluir

Deixe seu registro...