segunda-feira, 9 de agosto de 2010

A Natureza de nós mesmos


Constantemente caímos na dúvida sobre o sentido de sermos superficiais
com a vida e com as pessoas que nos cercam.
Procuramos respostas de forma equivocada e acabamos invariavelmente voltados
para nós mesmos como a única fonte segura de seguir em frente. Desvalorizamos opiniões, desperdiçamos lágrimas, guardamos sorrisos, fechamos os braços para abraços e devaneios de felicidade.
Formas e contextos não se misturam, isso é fato.

Perdoamos de menos?, penso mesmo que sim.
Fechamos os olhos e adotamos posturas sem razão, quando na verdade se alinhar é o que nos faz movimentar toda essa vida que nos acolhe.

Existem aqueles que para encontrar razões ou respostas sobre si fogem ou até renascem através do próprio e insano silêncio.
Talvez um lugar seguro é o que as motivam.

Experimentar o sabor de ser apenas uma pessoa no meio de tantas outras vidas. Afinal: Cada um sabe a dor e a delicia de ser o que é.
Não existem garantias, viver é arriscar-se, desfrutar a ambiguidade.

Mesmo com todos as angústias e dúvidas sobre a convivência, ainda é crucial andarmos em paralelo e de vez em quando deixarmos as mãos se tocarem. Energia e conhecimento alheio fazem parte da estrutura humana, dividir e somar.
Pois acima de qualquer inclinação contrária, existe uma afirmação arrebatadoramente correta sobre isso: Na vida a felicidade só é completa se for compartilhada.

3 comentários:

  1. Muito boa a idéia do compartilhar como expressão e causa para a felicidade,pois ninguem é auto-suficiente.
    Dê uma olhada no meu blog e se puder divulgue para amigos,pois já estou fazendo o mesmo sobre o seu!
    Beijos e acesse:

    www.liquidideias.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Tão trí que chamei teu URL lá no http://twixar.com/6s197. Se não topar, eu retiro sem problemas :) Valeus

    ResponderExcluir

Deixe seu registro...