sábado, 24 de julho de 2010

O pecado mora ao lado...

Em tese:
Inveja
é um sentimento de aversão ao que o outro tem e a própria pessoa não tem. Este sentimento gera o desejo de ter exatamente o que a outra pessoa tem (pode ser tanto coisas materias como qualidades inerentes ao ser)e de tirar essa mesma coisa da pessoa, fazendo com que ela fique sem.


A inveja é um padrão a parte, uma postura que pode ser colocada
e maximizada através do ódio e do desejo por algo ou alguém. Uma relação intensa e fulgaz e por tal é um sentimento gerado pelo egocentrismo e pela soberba de querer ser maior e melhor que todos, não podendo suportar que outrem seja melhor.
Mas afinal o que passa a ser um sentimento ou apenas um estado de espírito?

Talvez todos os sentimentos confusos, submersos, uma mistura irracional de conduta, teorias caóticas, um fundamento sem a menor pretensão de dar certo.
Essa energia que muitas vezes é canalizada, libera um entusiasmo eufórico, mas intensamente lúdico e ilusório.
Viver fora da realidade ainda é um argumento para aqueles que não conseguem de fato ver e vibrar com a felicidade e conquista alheia. Ou como o provérbio já prediz: a pedra no sapato...

Partindo do princípio que somos todos iguais, eu ainda me pergunto qual a fuga em viver ou apenas estar presente na vida alheia. Curiosidade, ímpeto, estímulos...o que não faltam são razões e insensatez. A inveja é uma brecha da realidade, um exclusivo momento de imparcialidade própria.

É preciso que saibamos conduzir as situações. O contexto pode mudar, basta aplicarmos uma boa dose de bom senso em não espalhar aos quatro ventos o quanto a vida acontece.
É essa incapacidade de ser/estar só que nos permite abrir demais nossos sonhos, vontades e desejos, reservando um espaço não apenas para intromissões e apontamentos, mas para a rotina que muitas vezes procuramos e não sabemos como quebrar mais tarde.

Descrição ainda é um tiro certeiro aos intrusos que insistem em fazer parte da rotina.

Não se tratam apenas de dicas ou rituais, mas o quanto as pessoas se deixam interferir e influenciar por energias que de certa maneira, se transformam mais que ficando, se é que me entende.
Existem pessoas que dizem que a inveja mata, eu acredito que ela pode mesmo criar intensas e profundas rugas.
O que importa é estabelecer um limite, uma linha imaginária e transitória que faça com que a inveja não se torne um campo magnético. Jamais conseguiremos extirpa-la, mas com certeza seremos menos susceptíveis se ficarmos voltados para nossa própria vida.

Se o pecado mora ao lado, eu não o aponto, mas de uns tempos pra cá permaneço quieta e muito mais tranquila em constatar que a inveja pode mesmo fazer com que ser humano saia de seu estado de conforto e se inspire em tentar fazer da vida um pouco melhor.
Inveja branca?...pode-se mesmo dizer que sim.

segunda-feira, 12 de julho de 2010

Eu idealizo, tu idealizas..e eles?


Eu me pergunto todos os dias: Idealizamos processos ou apenas sonhamos alto demais?

A idealização é a fase criativa, de geração de insights e é isso que realmente faz diferença na hora de criarmos e derrubarmos preconceitos.

E
para ser sincera, visualiar é a chave da questão em uma mente diversificada.
As vezes é por ser pesado, outras nem tanto, mas no final tudo flui com uma clareza imensa, basta uma dose de raciocínio e empenho.

Contextos e mais contextos insólitos é o que observo por aí, nada muito definitivo, um pouco vago permito-me expor.
Entre o caos e a esperança, boas idealizações permeiam o eco que produzimos dentro de nós , pois entre um silêncio e outro, gritos e gritos de insatisfação.

Quando o contexto é imprevisível e as informações, escassas, a tomada de decisão torna-se muito mais difícil. Neste ponto permito-me ser apenas parte do que todo um processo, deixando para os entusiatas e intimistas uma dose extra de otimismo.
Ao idealizarmos algo, colocamos foco em projetos e sonhos, este último completamante dependente da vontade e persistência - outra característica deste pensador.

E como reconhecemos um idealizador?
Ele irr
adia simpatia e compreensão ao mesmo tempo em que apóiam e auxiliam os outros. Tais características causam uma forte onda de harmonia que é capaz de modificar posturas e pensamentos contrários.
Motivacional, facilitador e empreendedor, afinal: 1 é pouco, dois é bom e 3..bem, 3 nunca é demais.

Precisamos compreender que acima de tudo um idealizador é um capacitador de idéias expontâneas e singulares e que por tal criar é um verbo direto do participativo.

Que maravilha se pudéssemos conduzir a vida sem pensarmos nas consequências de nossos atos expontâneos. Vivemos preocupados em nos nos atentar o tempo todo, afinal, o julgamento ainda é uma barreira intransponível e ferramenta aliada daqueles que se apegam e cercam suas vidas através de circunstâncias e não de motivos.

Continuemos a debater, o que importa é continuar pensando sempre.

terça-feira, 6 de julho de 2010

Coincidência ou apenas verdade?

Morreremos sem saber o real sentido de nossa existência, isso é a única e soberana barreira onde nos prendemos todos os dias.
A mais pura e incrível descrição de uma estranha coincidência chamada curiosidade.

Uma vez pensei: Por que será que todas as pessoas de bom senso, pensam como nós?, talvez este fato seja apenas uma mera e positiva oportunidade de conhecimento.
O fundamental é não fecharmos nosso julgamento sobre as pessoas e suas verdades pessoais, questiona-las causará ainda mais dúvida e não responderá nem de longe a mesma pergunta: Existe ou não coincidência?

Não nos fechemos; devemos sim nos guiar por um caminho de alternativas. Nos submeter ao desconhecido ainda pode ser uma boa fonte de inspiração e novas frentes de pensamento.
E qual a verdade nisso tudo?, que a liberdade de pensamento e conduta começam quando aprendemos que elas não existem.

E por tal, ainda podemos dizer que as vezes não basta procurarmos razões.
A verdade é infinita e real.

Dizem que o ser humano é composto por 59% de água. Isso torna liquidas todas as suas pretensões ou líquida com elas?.
Ainda por cima ao nascer todo ser humano já traz dentro de si todas as características fundamentais para querer mandar em todo mundo e não admitir controvérsia.

É impressionante que, apesar de sua notória estupidez, sua absoluta incapacidade de reconhecer a realidade que o cerca e, sobretudo, a realidade de sua própria ineficácia para a sobrevivência,o homem continue a se achar o rei dos animais.
E todos sabem, que quando Deus criou o homem, todos os animais que estavam em sua volta só não caíram na risada por uma questão de respeito.

Então me responda:
O que é mais errado: Julgar uma pessoa pelo que ela não é, ou exatamente pelo que ela é?.

Está aí o espelho para os maiores questionamentos pessoais sobre o alheio que tanto ilude sobre saber para onde ir e como ir.

Verdades sobre a vida