sexta-feira, 26 de março de 2010

VOCÊ

As vezes o que precisamos mesmo é olhar para dentro.
E quando tudo se torna demais para nossa cabeça, é chegado o momento de dizer:
NÃO, pois na maioria das vezes a gente concorda, e acredite, isso tira mesmo você do eixo.

Nós flutuamos, escorregamos quando devemos fincar os pés, deixamos a curva se tornar estreita a ponto de não conseguirmos seguir em frente. Andamos abaixados e sem direção.
Se tudo depende exclusivamente de você, como transformar sua vida em um peso e a mesma medida?, a dose extra está certamente na resposta que precisamos forjar quando passamos por cima de nossos limites para algo ou alguém.
Passamos a maioria do tempo dando desculpas e criando situações desconfortáveis e sem controle.

Deixamos a vida solta demais e acredite, uma hora ela nos freia e nos coloca de frente. É nesse exato momento que você começa a se questionar o que tem feito, como tem feito e para quem.
Se você se assustar com o que encontrar, existirão apenas duas opções: continuar correndo sem rumo ou parar e tomar as rédeas de suas escolhas.
E você anda ou corre para a vida?.

Como as pessoas gostam de observar a grama do vizinho, isso é um fato bem curioso, tanto que o cidadão acredita que de fato ela é mais verde, mais fresquinha.
Tamanho é o medo de enfrentar a vida que somos obrigados a estender diversas cadeiras pela grama e servir de diversão para a espionagem alheia.

Estamos na era do olhar e ser visto, quanta perda de tempo e energia.
Talvez deixar de ser você e passar a existir como uma peça de jogo seja mais que uma desculpa, certamente uma fuga estratégica para ficar sentado na grama do vizinho apenas esperando o show começar e continuar se esquivando da sua própria existência particular.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu registro...