quinta-feira, 25 de fevereiro de 2010

Tempo e espaço

Comporte-se assim:
Reivindica o teu direito sobre ti mesmo e o tempo que até hoje foi levado embora, foi roubado ou fugiu, recolhe e aproveita esse tempo. Convence-te de que é assim como escrevo: certos momentos nos são tomados, outros nos são furtados e outros ainda se perdem ao vento. Mas a coisa mais lamentável é perder tempo por negligência.
Se você pensar bem, passamos grande parte da vida agindo mal, a maior parte sem fazer nada, ou fazendo algo diferente do que se deveria fazer.


Você poderia me indicar alguém que dê valor ao seu tempo, valoriza o seu dia, entenda que se morre diariamente?, nisso, falhamos multuamente. Pensamos que a morte é coisa do futuro, mas parte dela já é coisa do passado.
Qualquer tempo que já passou pertence a morte.
Então: aproveite todas as horas, assim você será menos dependente do amanhã se por hoje você focar o seu presente. Enquanto adiamos a vida, a vida se vai.

Todas as coisas nos são alheias, somente o tempo é nosso. A natureza deu-nos posse de uma única coisa fugaz e escorregadia, da qual qualquer um que queira pode nos privar e é tanta a estupidez dos mortais que, por coisas insignificantes e desprezíveis, as quais certamente se podem recuperar, concordam em contrair dívidas do bom grado. Ninguém pensa que alguém lhe deva algo ao tomar o seu tempo, quando na verdade, ele é o único e mesmo aquele que reconhece que o recebeu não pode devolver esse tempo de quem o tirou.

Talvez você me pergunte o que faço para te dar esses conselhos. eu te direi francamente: tenho consciência de que vivo de modo unilateral, porém cuidadoso.
Não posso dizer que não perco nada, mas posso dizer o que perco, o porque e como; e te darei as razões pelas quais me considero assim.
No entanto, a mim acontece o que ocorre com a maioria que está vivendo: todos estão prontos a desculpar, ninguém a dar a mão.
Afinal, existe uma coesão entre o tempo e espaço?, estaríamos nós nos perdendo entre as infinitas linhas que cruzam nossos sentidos de direção?

A duração da minha vida não depende de mim. O que depende é que não percorra de forma pouco nobre as fases da vida; devo governa-la e não por ela ser levada.

Um comentário:

  1. Dani, Beijos grandes. Marie

    Só um lembrete do Quintana ...

    "A vida é o dever que nós trouxemos para fazer em casa.
    Quando se vê, já são seis horas!
    Quando se vê, já é sexta-feira...
    Quando se vê, já terminou o ano...
    Quando se vê, perdemos o amor da nossa vida.
    Quando se vê, já passaram-se 50 anos!
    Agora é tarde demais para ser reprovado.
    Se me fosse dado, um dia, outra oportunidade, eu nem olhava o relógio.
    Seguiria sempre em frente e iria jogando, pelo caminho, a casca dourada e inútil das horas.

    Desta forma, eu digo:

    Não deixe de fazer algo que gosta, devido à falta de tempo,
    pois a única falta que terá,
    será desse tempo que infelizmente não voltará mais.


    por Mário Quintana

    ResponderExcluir

Deixe seu registro...