quinta-feira, 25 de fevereiro de 2010

Tempo e espaço

Comporte-se assim:
Reivindica o teu direito sobre ti mesmo e o tempo que até hoje foi levado embora, foi roubado ou fugiu, recolhe e aproveita esse tempo. Convence-te de que é assim como escrevo: certos momentos nos são tomados, outros nos são furtados e outros ainda se perdem ao vento. Mas a coisa mais lamentável é perder tempo por negligência.
Se você pensar bem, passamos grande parte da vida agindo mal, a maior parte sem fazer nada, ou fazendo algo diferente do que se deveria fazer.


Você poderia me indicar alguém que dê valor ao seu tempo, valoriza o seu dia, entenda que se morre diariamente?, nisso, falhamos multuamente. Pensamos que a morte é coisa do futuro, mas parte dela já é coisa do passado.
Qualquer tempo que já passou pertence a morte.
Então: aproveite todas as horas, assim você será menos dependente do amanhã se por hoje você focar o seu presente. Enquanto adiamos a vida, a vida se vai.

Todas as coisas nos são alheias, somente o tempo é nosso. A natureza deu-nos posse de uma única coisa fugaz e escorregadia, da qual qualquer um que queira pode nos privar e é tanta a estupidez dos mortais que, por coisas insignificantes e desprezíveis, as quais certamente se podem recuperar, concordam em contrair dívidas do bom grado. Ninguém pensa que alguém lhe deva algo ao tomar o seu tempo, quando na verdade, ele é o único e mesmo aquele que reconhece que o recebeu não pode devolver esse tempo de quem o tirou.

Talvez você me pergunte o que faço para te dar esses conselhos. eu te direi francamente: tenho consciência de que vivo de modo unilateral, porém cuidadoso.
Não posso dizer que não perco nada, mas posso dizer o que perco, o porque e como; e te darei as razões pelas quais me considero assim.
No entanto, a mim acontece o que ocorre com a maioria que está vivendo: todos estão prontos a desculpar, ninguém a dar a mão.
Afinal, existe uma coesão entre o tempo e espaço?, estaríamos nós nos perdendo entre as infinitas linhas que cruzam nossos sentidos de direção?

A duração da minha vida não depende de mim. O que depende é que não percorra de forma pouco nobre as fases da vida; devo governa-la e não por ela ser levada.

sábado, 20 de fevereiro de 2010

O Silêncio


Falar é prata, calar é ouro, esse é o fato que determina nossa presença entre as relações humanas.
Somos o impulso, somos a prática indisciplinada, temor alheio transformado em palavras.
Quando falamos passamos uma concepção, um contexto, até mesmo um pedido recolhido de atenção.
Será o silêncio a pausa da certeza humana?, quem sabe, ou talvez o calar-se seja um alívio da alma, assim seja.

Para quem possa interessar, o silêncio serve de argumento, de resposta ao inconstante pensamento de negatividade que assumimos em uma postura de incerteza, hora por medo, hora por conveniência.
Não podemos taxar o silêncio como um breque à respostas indevidas, situações em que precisamos de fato falar, gritar, externar uma postura certamente imparcial.
Se devemos ou não, isso é uma outra história, mas é ótimo quando conquistamos algo com a nossa voz, um pedido de "por favor" muitas vezes cai muito bem.

Somente por hoje adianto um pouco as palavras que, você sabe como é, passam ao meu lado como um pedido de atenção. Se eu pudesse eu seria uma afirmação, um constante brilho de atenção, uma palavra de ordem em meio ao caos, um passo sempre adiante da razão.
Essa é a ordem: escuto no silêncio a veracidade. Mas tenho ainda muita coisa para colocar em prática, a pausa certa para falar.

O que importa é a forma como colocamos no papel as idéias que executamos, o cenário que pintamos e as respostas que damos aos que pemanecem sempre no eterno silêncio.
Você pode ser a resposta às inúmeras questões, e acredite, mesmo em silêncio atingimos um alvo a distância.
Olhar e enfrentar, dois degraus para uma ação que o impulsiona.
Então quando e onde é apenas uma postura. O silêncio é uma resposta, um alicerce, uma linha que o faz estático. Reposicione-se e tenha em mente que o silêncio é o seu momento de criação, seus segundos preciosos de solidão e o melhor: sua resposta aos cretinos que pedem mais do que merecem - seu tempo.

Quando não tiver nada para acrescentar ao mundo...contemple o ímpar de seu silêncio, pois certamente não é nenhum mal, pelo contrário, parar por alguns instantes faz você buscar o equilíbrio, um alívio que muitas vezes se faz necessário diante do cotidiano frenético que carregamos e suportamos.

"Silenciar-se não quer dizer que paramos, apenas nos permite recriar os passos que não soubemos como contar".

segunda-feira, 8 de fevereiro de 2010

O PREÇO

Pagamos caro demais por sermos quem somos?

Talvez estabeleça aqui um certo paradigma de comportamento, ou apenas uma dose extra de capacidade misturada ao saber e querer.
Mesmo assim pagamos caro demais por razões que nós mesmos criamos, objetivos que traçamos, metas que estabelecemos e objetivos que listamos. Infindáveis alternativas.

Vale mesmo a pena tentarmos ser menos apenas para agradar aquele que não nos acompanha ou nem tenta entrar em um universo divergente?
Não somos iguais, cada cabeça uma sentença, e aí sim observamos de perto a capacidade humana em ser impacial com passos alheios.
Trabalhamos, criamos, pensamos mais que devemos?
Afinal, qual o preço de sermos únicos em uma grande maioria unipresente?

Possuímos um sangue jovem a procura de experiências consistentes. Somos julgados, apontados por apenas estabelecermos um padrão de comportamento, próprio ou não.
Desde sempre necessitamos escolher se editamos a vida ou apenas recriamos sombras
.
Todo mundo possui o direito de ir e vir, será mesmo que a teoria funciona na prática?
Creio que não...

O preço de nossa liberdade de escolha é alto e é preciso um posicionamento para receber as críticas, pois creia, elas aparecem melhor que os elogios e as contemplações de suas idéias ou postura.
Quando você aponta, permite ser cutucado também, não esqueça deste pequeno detalhe.
Se a vontade de mandar as favas aparecer, saiba administrar seu ímpeto, observar melhor do alto permite recriarmos melhor as rotas de fuga, se é que me entende.
Nem sempre escolhemos a profissão certa e esse é sem dúvida o preço mais alto que debitamos de nossa conta, já não nos bastam as cobranças pessoais?
Talento e ousadia não faz mal a ninguém, da mesma forma que atenção e perspicácia fazem de sua vida um preço razoável a ser pago.

segunda-feira, 1 de fevereiro de 2010

Quando chegam as respostas


Nunca se sabe quando o destino vai lhe pregar uma excelente coincidência, mas é provável que exerçamos o sexto sentido quando nos inclinamos para isso.
É mais cômodo crermos naquilo que está diante de nossos olhos e perto das mãos, paupável chego a dizer, mas o melhor de não termos noção do que está por vir é quando somos arrebatados pela surpresa da vida, ela está cheia de encantos mil.
E mesmo que muitas vezes as respostas nos escapam por entre os dedos, ainda sim vale a pena crer naquilo que muitas vezes não vemos ou apenas não sabemos por onde enxergar.

É fato que estamos vivendo uma era de incredulidades, distorção de valores e pressa diante do nada, mas espere um minuto: você sabe onde estão guardados os seus olhares, para onde ele está apontando, para qual direção você aponta?
As pessoas alteram suas rotinas, esquecem de olhar para trás e deixam as oportunidades sentadas em algum canto de suas escolhas.
Você pensou em alguém hoje?
Fez algo simples?


As respostas surgem quando menos as esperamos. E o acaso não é ótimo?
Deleite-se com alguns segundos de surpresas, gratas surpresas para quem sabe plantar uma humilde semente: virtude.
Você poderá colher não somente respostas altivas, mas uma infinidade de perguntas acertivas e que farão diferença.

Mas afinal, existem ou não boas coincidências?
Faça uma pequena pausa e visualize as situações a sua volta, elas estão contra ou a favor de seu curso natural? Algumas implicações nem sempre são sinal vermelho, basta racionalizar na hora em que precisar ser de fato você mesmo com outras pessoas.
O que fazemos aqui, certamente nos retorna com uma força maior.

Por isso, não contextualize suas ações, não profane palavras ao vento e muito menos deseje menos por ser demais, pois s
omente quando chegam as respostas é que nos damos conta de que saber investir nem sempre está aliado a ganhar ou perder, apenas uma simples doação de atenção basta para quem apenas procura por uma palavra de incentivo.

É isso que digo quando as pessoas me perguntam sobre respostas. Nunca dou mais que simples exemplos, pois hoje sou eu quem está aqui para relatar que boas coincidências acontecem para quem acredita e deposita um certo grau de credulidade.
Ação e reação não é somente uma equação de física, soma-se uma certa dose química e subtrai-se uma multiplicada e resultante questão de viver.