segunda-feira, 9 de novembro de 2009

?


CONHECIMENTO.

No cotidiano falamos de conhecimento, de crenças que estão fortemente apoiadas por dados, e dizemos que elas tem justificativa ou que estão bem apoiadas. Bem, imagine-se em uma busca permanente pelo desconhecido. Nós possuímos inúmeros recursos, fonte inesgotável de interesses em comum.

Quaisquer que sejam seus conflitos, sua busca pode mesmo leva-lo ao infinito particular de alternativas inesgotáveis – CONHECIMENTO nada mais é do que o poder de irmos além através da própria vontade do querer. Somos intensos, implícitos, ímpares; alternativas não nos faltam na hora de acreditarmos que estamos presentes no mundo com um propósito.

Imagine-se como um baú, cheio de infinitas palavras e situações, das quais tudo depende exclusivamente do seu interesse em levar adiante seu parecer e diferentes visões sobre tudo que envolve sua exclusiva vontade. Conhecer faz parte da essência humana. Independente do que for fazer, saiba de que forma começar e como passar adiante o que aprendeu. Saber como, é a grande chave da questão. Vivemos para isso, morreremos para isso - Obter experiência.

O conhecimento requer tanto a crença quanto a verdade. o exemplo mais óbvio é a descrição do que acontece na cabeça de alguém. Verdade seja dita: Na busca pelo ideal coloque importância e priorize metas no que for desenvolver, visualize pontos de vista, deposite energia e cimetria - foque em resultados palpáveis, mas acima de tudo não desperdice oportunidades de melhorar seus conhecimentos, independente do que fizer ou estiver executando.

Se tudo é um ciclo, estamos dentro de uma verdade: Sempre existirá a chance de aprimorarmos nosso intelecto. Assim nascem as grandes idéias e o conhecimento que empregaremos nelas.

Que será então necessário para além da crença verdadeira alguém possuir conhecimento?

Na minha opinião é que todos os dados que justificam uma crença não precisam ser infalíveis. Penso que podemos ter crenças racionais bem apoiadas, mesmo quando não nos empenhamos em estar absolutamente certos de que o que acreditamos é verdadeiro.

Assim concluo que a crença verdadeira não é suficiente para o conhecimento. Faça você mesmo sua interpretação.

Um comentário:

  1. Extremamente bem colocado. A crença verdadeira, essa que nunca é tão questionável não é suficiente para que a gente conheça. Talvez por isso a crença venha sempre tão cheia de mistérios. Seja lá sobre o que for.

    beijos
    tati

    ResponderExcluir

Deixe seu registro...