quarta-feira, 7 de outubro de 2009

O saber e o fazer

Estamos no ciclo da vida.
Está na hora de pararmos para pensar.
Existe um momento em que precisamos começar a ouvir, sentir, olhar e viver os chamados interiores.
Devemos resgatar para nossa vida uma essência verdadeira do existir, do valor que tudo representa e nos faz ser.
Estaríamos nós fugindo ou sempre correndo dos valores necessários da vida?

Pare e pense um pouco em como a vida anda acelerada demais, o quanto nos tornamos máquinas que permanecem sempre ligadas, em postura reta, não damos tempo para o silêncio da alma, não baixamos a guarda.
Escutemos a baixa frequência do vento que sopra em nossa direção.
Se pensarmos na vida como um círculo aberto, começaremos então a compreender que somos parte de um todo, ligados por sentimentos ímpares. Misto de saudade e saudosismo.
Talvez esteja aí a mensagem do mundo para o mundo: resgatemos nossas raízes, sintamos novamente a vontade pela vida - para a vida.

Se você parou, começamos bem.

É necessário reconhecer que esta forma mecanicista de compreender o mundo é limitada. A parte mecânica é apenas um aspecto, apenas aparência exterior.
A indústria transforma a matéria, através do uso da técnica cada vez mais sofisticada e presente, tornando o homem cada vez mais inconsciente dos processos que envolvem a tecnologia, cada vez mais alienado.
Há uma centena de exemplos de que a técnica domina todos os campos da vida humana, e o homem de hoje encontra-se numa situação de colapso, por não conseguir um acesso aos verdadeiros motivos de sua vida.
Portanto, para que possamos de verdade mudar nossa postura no mundo, temos de nos reinventar, deixando de lado o egoísmo e inverdades, e nos guiar, ou pelo menos nos cercar de sentimentos uníssonos de verdade pela verdade humana - CONTEMPLAÇÃO.
Contemplação significa colocar os olhos da alma naquilo que é invisível.

O coração fala com a voz interior da consciência, perceptível somente no íntimo do indivíduo. Essa voz interior silenciosa as vezes não pode ser calada e é experimentada corporalmente como uma "mordida da consciência" na região do coração - o remorso.
É primordial que sejamos mais reais e menos emergenciais em nosso cotidiano.
Não se trata de fuga, mas de voltar ao centro e interagir de verdade com você mesmo.
O que você faz e traz é o que determina seu papel como indivíduo.

DiverSidade
VerdAde
PlUralidade
LiberDade
IndependênciA
SeriedaDe
RespEito

2 comentários:

  1. E você sempre escrevendo para mim, incrível. HOje cedo eu e meu marido tivemos uma discussão besta por causa de falta de tempo. Ele contempla. Eu sou um trator programado. Me arrependi! Vou pedir desculpas agora!!!

    beijos
    tati

    ResponderExcluir

Deixe seu registro...