terça-feira, 1 de setembro de 2009

Por onde começo?


Ser ou não ser?, eis a questão.
Se Shakespeare estivesse vivo hoje, ele certamente responderia esta questão dizendo que só depende de você mesmo e que na ocasião desta divagação o ócio era seu melhor companheiro.

Para ser um RP profissional (caros, lembre-se: RP= Relações públicas), bastam algumas boas qualidades evidentes: Boa introspecção, bom relacionamento com contatos, persuasão, carisma e acima de tudo: feeling.

A busca pelo óbvio não pode ser evidente, é preciso criar um laço de desejo permanente onde quer que você vá.
Nada como um bom portfólio para colocar a casa em ordem quando você se declara apto para iniciar um trabalho de relacionamentos. Não deixe dúvidas, mostre-se eficaz, direto.

Não seja assertivo (O assertivo põe na tónica na defesa do EU, é capaz de defender vigorosamente o seu ponto de vista e recusa dizer "sim" só para fazer jeito, para não levantar ondas, para não ser desmancha-prazeres ou simplesmente para agradar e não contrariar os outros), seja coerente.

A idéia é que você consiga, primeiramente, desenvolver seu lado direito do cérebro e saia do seu estado de letargia constante, seja pró-ativo com seus contatos, crie oportunidades de se aproximar de seus interesses, sejam eles quais forem e faça disto um hábito.
Desenvolva e planeje sua rotina.
Seja o seu relações públicas, exercite sua criatividade pessoal.
É preciso expandir seu conhecimento, criar vínculos sócio-culturais e o melhor: saber tirar proveito do conhecimento alheio.
Seja ético, execute estrategicamente as políticas de relacionamento em sua empresa, faça!

Construa, mantenha ou reforme sua reputação positiva. Você é a imagem do seu trabalho ou daquilo que pretende ser.

2 comentários:

  1. Gostei do texto! Por incrivel qu pareça veio a calhar com o que estou passando! Deu até uma motivação a mais!

    ResponderExcluir
  2. Oi, Daniela.
    Parabéns pelo blog.
    É muito saudável manter uma prestação de serviço assim.
    Continue, porque é bom pra todo mundo.
    Abração.
    Zeca Martins

    ResponderExcluir

Deixe seu registro...