domingo, 16 de agosto de 2009

OBSERVAR

Observar.
A compreensão humana é um espelho de visões não compreendidas, um fator que muitas vezes passa desapercebido pelas sensações corporais e mentais, sub-estações escondidas.

As portas do pensamento ficam trancadas e até esquecidas. Somos ou não somos muito mais?
Eis a capacidade que muitas vezes nos arrebata e nos faz ver, mesmo que por poucos instantes, a vida como ela deveria ser...ímpar.

Para sabermos mais sobre nós mesmos, temos de saber avaliar o que dizemos aos outros e qual a intensidade que isso traz para nossa vida.
Comece seu exercício dando um basta a vigilância constante para tentar ser perfeita, tente ser de verdade o seu melhor.

Somos capazes de compreendermos a nós mesmos, basta inicialmente observarmos o comportamento de nossa mente, corpo e alma. A linguagem corporal é muito importante. Conduzimos o pensamento para o caminho mais fácil, desta forma é vital que busquemos alternativas para colocar a "casa" em ordem, pois nem sempre o mais fácil é o correto.

Observar requer que façamos exercícios diários de empenho e desprendimento.
Precisamos relaxar, fechar os olhos, sair do ar por um tempo e começar a prestar atenção no real sentido das palavras empregadas e para quem as destinamos ou de quem as escutamos. 

A solidão traz energia, respeito próprio e paz interior, por isso não ache que ficar só seja um infinito de tempo, pois isso renderá descobertas, respostas e o melhor: tempo.
A felicidade está presente nos pequenos e incontáveis segundos que vivemos para nós mesmos. A doação constante existe e somos parte dela, mas de verdade: quando não estamos bem, não somos a metade do que somos. E viver pela metade não é nem de longe a promessa que fazemos quando chegamos ao mundo.

Desta forma, os exercícios são inicialmente um presente que você pode se dar. Valorize seus segundos de silêncio, comunique-se com os olhares.
A vida é um presente significativo, segundos preciosos de amor e dedicação.
Pense e passe adiante.

Um comentário:

  1. Eu sinto falta de relaxar e observar. Talvez por isso eu escreva tanto. Mas é que com dois filhos bem pequenos em casa fica difícil exercitar o tal e importante desprendimento. Assim que eles tiverem suas vidinhas próprias, volto aos exercícios!

    Beijos
    tati cavalcanti

    ResponderExcluir

Deixe seu registro...