quinta-feira, 27 de agosto de 2009

HUMOR, FATOR CRUCIAL

Atendendo a pedidos, farei uma breve pausa no livro para deixar registrado um artigo sobre o humor humano.

Well meus caros, humor é mesmo uma questão de estado de espírito constante, a começar pela decisão de abrir os olhos e escolher com que pé deseja levantar e iniciar seu dia, independente de fatos e acordos pessoais.

O humor independe de crenças, raças ou religião.
Onde quer que você vá, sempre existirão questões que o farão parar e pensar sobre seus conflitos pessoais, sua própria vida com os outros ou consigo mesmo.
Portanto se para você humor é apenas um botão interno que ligamos apenas para disfarçarmos nossas inseguranças internas ou então para desfazermos algum mal entendido, pare agora e reorganize seu sistema, algo não está certo nisso.
Sua verdade dos fatos está bem distorcida.
Acredite, ainda vale a pena sorrir e considerar o humor um forte aliado.

Existem aqueles que consideram o sarcasmo um humor alternativo e que dele podemos tirar algum proveito deixando mascarado nosso próprio medo de ser feliz, pode ser...mas preste atenção aos sinais que seu interior lhe dá quando as pessoas começam a duvidar se de fato você é um ser humano presente.
O que quero deixar externado quando falo em sarcasmo é que nem sempre a felicidade está presente somente nas palavras, se um bom sorriso faz bem a qualquer mal encarado na rua, imagine sorrir e fazer disso um novo caminho em seus planos presentes e futuros, agir mesmo com o coração, local este avesso às portas do sarcasmo.

Humor implica em felicidade, resolução de questões, assumir o seu papel na vida, viver ao máximo todas as possibilidades e seguir com a cabeça erguida onde quer que você vá ou encontre pela frente. O bom humor descansa a alma.
Óbvio que ninguém merece enfrentar duas horas de trânsito pela manha e ainda chegar cantando "viva a vida", mas neste caso, vá ao banheiro lave o rosto e assuma seu papel de pessoa onde quer que esteja.
Nada melhor que enfrentar o mal humor dando uma lição de boas expirações, sim respire fundo.
Lembre-se que existem pessoas que fazem do sorriso uma forte aliada (vide: www.doutoresdaalegria.org.br ) e motivam o ser humano para o ser humano.

O bom humor traz boas recompensas, bons momentos de descontração e soluções.
Não estou dizendo para você sair daqui e rir como uma hiena, por favor não, apenas para aprender que o humor traz boas energias, abre caminhos e com um pouco de sorte, um bom aumento de salário também, afinal, ninguém merece trabalhar com um chato que apenas e somente reclama o tempo inteiro. Enquanto ele reclama e fecha a cara, você oferece uma água ou uma pausa para o café ao seu chefe.
É preciso resolver seus conflitos em casa, talvez diante de um espelho ou terapeuta, isso é um passo. Um dia de cada vez já diz o bom e sábio ditado.

Por hoje é só, fica a mensagem.
Até a próxima.

quarta-feira, 26 de agosto de 2009

Tudo novo de novo

Novas linguagens, novas críticas e tendências.
Assim descrevo a primeira etapa do livro, muito construtivo e informativo.
Vamo que vamo...

segunda-feira, 24 de agosto de 2009

PARCIAL

Redação Publicitária - A prática na prática
Zeca Martins
Editora Atlas

Inicio a semana colocando a mão na massa.
No decorrer do mês, colocarei maiores descrições sobre o livro e minha visão sobre o mesmo.

Abraços a todos.
Dani

sexta-feira, 21 de agosto de 2009

RISOS E AFINS

No circo da vida somos os palhaços com nossas próprias risadas.
O riso é um impulso, um ato de total cumplicidade com a felicidade e os extremos. 
O ser humano divide-se em duas classes distintas: presentes e ausentes, eu explico.

O ser presente é aquele que enfrenta seus fantasmas de forma frontal, rí de seus próprios conceitos, contempla a realidade.
O ausente é o típico ser que esquece de existir. Na maioria dos casos espelha-se em vidas alheias, vive refazendo caminhos e esquece de planejar as rotas.

Para ambos, os casos de risos e afins possuem uma determinada dose.
Quais os fatores que contribuem para a sua felicidade?

Rir demais, chorar demais, falar, escutar, somos seres extasiados dentro de uma história?
O que adianta viver sorrindo se na verdade sua comunicação encontra-se de fato travada?
Viver como fantasma nunca é o bastante para aqueles que não sabem como se esconder, está aí uma boa conclusão.
Portanto que fique claro que entre a luz e as trevas encontra-se um ponto de equilíbrio. O seu peso e duas medidas, o ponto certo da balança.

Ache seu significado, encontre suas palavras certas, desprenda-se do previsto, cumpra alguns bons protocolos pessoais, vá ao circo, mas nem sempre ria como um palhaço, pois o riso é uma resposta da alma e não apenas uma desculpa para você dizer a todos que está bem.
Se for para rir, que seja de verdade e com vontade.
E acredite no eterno conselho: Ria de sí mesmo, pois quanto mais você rir menos rugas você terá.

Idéias que vendem


35º. FESTIVAL BRASILEIRO DE PUBLICIDADE PROVA QUE IDEIAS FORTES NÃO MORREMA Associação Brasileira de Propaganda (ABP), entidade fundada em 1937, promoverá entre os dias 14 e 16 de setembro o Festival Brasileiro de Publicidade, que chega à 35ª edição. O local especialmente escolhido para a realização é o charmoso Copacabana Palace, no Rio de Janeiro. Para divulgar o evento, uma campanha publicitária, criada pela DPZ, está sendo veiculada nacionalmente. 
BOAS INOVAÇÕES
“O Festival tem muitas novidades este ano. A primeira delas é o concurso universitário, realizado com o apoio do Instituto Empreendedor Endeavor (IEE), com o objetivo de incentivar a participação ativa dos estudantes no evento, desta vez na criação de peças”, afirma, em entrevista ao 
Portal da Propaganda, a diretora de marketing da ABP, Marion Green. Para contribuir com a formação dos novos talentos, a entidade também realizou roadshow em universidades de comunicação do Rio, contando com a participação de profissionais renomados da área. (...)

segunda-feira, 17 de agosto de 2009


BRASIL ABRE AS PORTAS À BRUTAL SIMPLICITY DA SAATCHIEram 15, agora são 16 escritórios com sede em 13 países, empregando 1.038 funcionários. No ranking das mais bem-sucedidas em seu ramo de atuação na Inglaterra, ela é a terceira empresa. Fundada em 1995, simultaneamente no mercado inglês, norte-americano e australiano, a M&C Saatchi chega com tudo ao Brasil, com sede na capital paulista e Kleber Viana no comando em cargo de CEO. O convite foi feito a ele pelo presidente da empresa, Geoffrey Hamilton-Jones, que olha com otimismo para o potencial do setor no nosso País, motivo pelo qual buscou como líder em solo brasileiro um profissional que já possui 20 anos de experiência em tecnologia e marketing dedicados a clientes de agências digitais de grande porte, entre elas Euro RSCG e, na Europa, a Grey. Viana também já atuou como diretor da M&C Saatchi Interactive na Nova Zelândia.
PARA ONDE VAMOS?
“A publicidade está migrando rapidamente para novos formatos digitais: internet, redes sociais, mobile, twitter. O diferencial da M&C Saatchi está em utilizar novas tecnologias em modo nativo, mantendo a simplicidade na comunicação e a consistência entre os diversos canais, aplicando à plataforma digital o conceito mundial da agência, que é o ‘brutal simplicity´”, declara Kleber Viana.

domingo, 16 de agosto de 2009

OBSERVAR

Observar.
A compreensão humana é um espelho de visões não compreendidas, um fator que muitas vezes passa desapercebido pelas sensações corporais e mentais, sub-estações escondidas.

As portas do pensamento ficam trancadas e até esquecidas. Somos ou não somos muito mais?
Eis a capacidade que muitas vezes nos arrebata e nos faz ver, mesmo que por poucos instantes, a vida como ela deveria ser...ímpar.

Para sabermos mais sobre nós mesmos, temos de saber avaliar o que dizemos aos outros e qual a intensidade que isso traz para nossa vida.
Comece seu exercício dando um basta a vigilância constante para tentar ser perfeita, tente ser de verdade o seu melhor.

Somos capazes de compreendermos a nós mesmos, basta inicialmente observarmos o comportamento de nossa mente, corpo e alma. A linguagem corporal é muito importante. Conduzimos o pensamento para o caminho mais fácil, desta forma é vital que busquemos alternativas para colocar a "casa" em ordem, pois nem sempre o mais fácil é o correto.

Observar requer que façamos exercícios diários de empenho e desprendimento.
Precisamos relaxar, fechar os olhos, sair do ar por um tempo e começar a prestar atenção no real sentido das palavras empregadas e para quem as destinamos ou de quem as escutamos. 

A solidão traz energia, respeito próprio e paz interior, por isso não ache que ficar só seja um infinito de tempo, pois isso renderá descobertas, respostas e o melhor: tempo.
A felicidade está presente nos pequenos e incontáveis segundos que vivemos para nós mesmos. A doação constante existe e somos parte dela, mas de verdade: quando não estamos bem, não somos a metade do que somos. E viver pela metade não é nem de longe a promessa que fazemos quando chegamos ao mundo.

Desta forma, os exercícios são inicialmente um presente que você pode se dar. Valorize seus segundos de silêncio, comunique-se com os olhares.
A vida é um presente significativo, segundos preciosos de amor e dedicação.
Pense e passe adiante.

quarta-feira, 12 de agosto de 2009

JUNTE-SE A MIM

Já diz o velho ditado: Para bom entendedor meia palavra basta.
Pensando nisso proponho uma discussão sobre como ser original.
Teoricamente ser original requer uma certa dose de empenho. 
Aliás empenho e originalidade são dois pólos bem distintos, onde é necessário saber encontrar um ponto de equilíbrio para se obter uma dualidade perceptível.

Cada ser humano nasce com certa dose de palavras e frases originais, o que deixa claro o individualismo criativo,mas afinal: onde mora nossa capacidade intelectual?
O que nos diferencia na hora de avaliarmos nossas palavras ?

Quando decidimos criar e ir além, expomos não somente nossas idéias e ideais, mas nossa essência que nos diferencia de outros, somos únicos em uma grande maioria.
Por isso, a mesma mão que avalia, também pesa quando nos tornamos conhecidos e exemplificados.

Originalidade:
É preciso uma boa observação dos fatos, uma caracterização moral, possuir boas críticas construtivas, maximizar e qualificar.
Se vivermos sempre em uma bola de cristal acreditando em tudo que lemos ou ouvimos, seremos para sempre engessados em uma parcial ínfima que faz parte de nosso cotidiano acelerado.
TODO SER É CAPAZ DE FORMAR PALAVRAS CONSTRUTIVAS E ALTIVAS.

Ser orginal requer um passo de cada vez, um peso e duas medidas.
Calma, foco e objetivo são constantes necessárias na vida de um ser criativo.

Nem sempre duvide das pausas, pois de vez em quando a vida precisa de um silêncio para encontrar outras fontes de inspiração. Saiba onde, quando e como passar adiante.
Pense sempre, torne-se, seja você o eixo de seu próprio conhecimento.
Deixe-se levar por alguns rompantes de momentos, cautela e bom humor não faz mal a ninguém.
SEJA, FAÇA e ACREDITE! palavras de ordem no momento.

segunda-feira, 10 de agosto de 2009

PARADA CERTEIRA


CIDADE LIMPA: PONTOS DE ÔNIBUS DE SÃO PAULO VOLTARÃO A EXIBIR PROPAGANDAApós dois anos e meio do início da Lei Cidade Limpa, o prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab (DEM), liberou a divulgação de material publicitário em abrigos de ônibus e irá ampliar a rede de relógios públicos. Dessa forma, a quantidade de locais nos quais a propaganda será permitida subirá para 9.800 pontos.
ARRECADAÇÃO BILIONÁRIA
O objetivo é adaptar os pontos de ônibus existentes, criar mais 2.100 unidades e triplicar a quantidade de relógios de rua, onde continuou sendo permitida a publicidade. A licitação para a exploração publicitária nos relógios será aberta neste sábado e a dos abrigos está prevista para o próximo mês. Com a medida, a prefeitura espera arrecadar cerca de R$ 2,4 bilhões durante a vigência dos contratos com regime de concessão de 16 anos para os relógios e, provavelmente, 20 anos para os abrigos.

sexta-feira, 7 de agosto de 2009

REALIZAÇÕES

Pró atividade inclui ter boas inspirações por perto ou pelo menos ao alcance.

Esta foi uma semana incrível: boa leitura,escutei inúmeros vídeos direcionados no IKWA (http://ikwa.com.br/site, se você não teve a oportunidade de se familiarizar com esta ferramenta de conhecimento profissionalizante, aproveite), bons momentos com pessoas especiais, captação e transição.
Preste um pouco mais de atenção a sua volta, você pode se surpreender.

quarta-feira, 5 de agosto de 2009

PAUSA NA NOTÍCIA

NOTA OFICIAL DO PORTAL DA PROPAGANDA
http://www.portaldapropaganda.com/comunicacao/2009/08/0006

A realidade nos envaidece, nos causa expanto, mas também nos grandifica.

05/08/2009 11:23

A NÃO-OBRIGATORIEDADE DO DIPLOMA EM JORNALISMO

Marília Cardoso

Um dos assuntos mais polêmicos da comunicação ultimamente tem sido a decisão do Supremo Tribunal Federal que decretou a não-obrigatoriedade do diploma para o exercício da profissão de jornalismo. Muitos jornalistas foram às ruas protestar; outros manifestam sua insatisfação nas redes sociais. Entretanto, alguns até defendem a atitude.

A questão é bastante complexa. Há muito tempo pessoas sem formação atuam em grandes e pequenas redações. A experiência cotidiana e o talento para a coisa fizeram com que eles estivessem numa situação ilegal até então. Com a decisão, muitas empresas jornalísticas puderam finalmente regularizar o registro desses profissionais.

Mas, se por um lado agrada, de outro desagrada, e muito. Em primeiro lugar, os líderes de uma nação devem defender impreterivelmente a educação e a formação profissional em vez de louvar quem se orgulha de nunca ter se sentado numa cadeira universitária.

Liberdade de expressão nada tem a ver com o sucateamento dos meios de comunicação. Para crescer e progredir, um país necessita de um povo bem informado, culto, que seja capaz de decidir os rumos da nação por meio daqueles que elege.

Entretanto, é preciso deixar claro que o jornalismo por si só é uma profissão incompleta. Não podemos ser profissionais generalistas, daqueles que cobrem a editoria de política pela manhã, substitui o editor de moda que faltou e comenta o jogo de futebol à noite.

Se a categoria enfrenta esses problemas agora, sendo totalmente desvalorizada e enfraquecida, foi porque de certa forma, nós falhamos. Erramos em ser superficiais demais, em acharmos que somos super-heróis e por falarmos besteiras em áreas que não nos especializamos.

A grande contradição do Supremo Tribunal Federal está em achar que os jornalistas podem ser facilmente substituídos por profissionais de outras áreas ou até pelos sem formação. Não é nada disso. A saída não está na negação aos estudos e sim no investimento que se faz nele.

Todo jornalista precisa buscar sua especialização. Quem cobre esportes deve entender profundamente a área e não ficar limitado somente ao futebol. Os de moda devem estudar o assunto a fundo tornando-se quase estilistas. Os de saúde precisam deixar de se acharem médicos depois da terceira ou quarta entrevista com um especialista.

Aos que pensavam em estudar jornalismo e aos que já estudam só posso dizer uma coisa. Estudar sempre vale a pena. A vivência diária no jornalismo é essencial, mas não é possível acreditar em prática sem teoria. Todo profissional precisa passar por uma universidade. O berço acadêmico é e continuará sendo o melhor antídoto contra a falta de profissionalismo.

Às universidades, que hoje reclamam e já começam a prever e amargar prejuízos com a redução da procura pelo curso, também tenho algo a dizer. Peguem o caminho oposto. Em vez de simplesmente suspenderem o jornalismo de suas grades, incluam cursos de especialização nas mais variadas ramificações da área. Façam com que os jornalistas sejam profissionais insubstituíveis.

Se investirmos mais na educação em vez de apenas ignorá-la, teremos mais qualidade nas informações que recebemos diariamente pelos jornais, revistas, rádio, televisões e internet. Mas, lembre-se que estamos sozinhos nessa. Autoridade nenhuma se interessa por uma imprensa bem treinada. Ter bons profissionais atuando significa nada mais, nada menos que ver seus atos secretos caírem na boca do povo. E isso só não atinge quem não está nem aí para a opinião pública.