quarta-feira, 25 de março de 2009

Ver, ouvir, agir.

Há anos Mário Quintana nos fez alguns questionamentos: 
A que mundo pertenço, quem urde eternamente a trama de tão velhos sonhos?

Uma das questões fundamentais que sempre perseguiu a humanidade refere-se a origem do universo.
Cada grupo social da uma resposta a isso. Os egípcios, por exemplo, diziam que ele se originou do caos, do qual se ergueu a deusa Nut. 
já os guaranis diziam que foi obra de Nhanderú e a civilização judaico-cristã atribui sua criação a Deus.
Por outro lado, os cientistas afirmam que tudo se originou de uma grande explosão.
Sem falar dos visionários ufólogos, com a resposta baseada em alienígenas.

Mas como o mundo anda cheio de teorias, vamos ao que interessa, falemos da vida moderna, temas me comum, discussões verídicas da vida humana.

Venho prestando atenção nas pessoas, suas aflições, anseios e respostas.
Tudo parece migrar para uma única saída: Gerar.
Ou então me atrevo a dizer: Semear.
Quem não se questiona com o tão brado governo?
O que quero relatar é muito mais que uma exoneração de esforços, é a falta de crescimento urbano, intelectual, moral.

Falemos do Bolsa família.

Em teoria: 
Programa de transferência direta de renda com condicionalidades, que beneficia famílias em situação de pobreza (com renda mensal por pessoa de R$ 60,01 a R$ 120,00) e extrema pobreza (com renda mensal por pessoa de até R$ 60,00), de acordo com a Lei 10.836, de 09 de janeiro de 2004 e o Decreto nº 5.209, de 17 de setembro de 2004.
Ou então:
O maior e mais ambicioso programa de transferência de renda da história do Brasil. O BOLSA FAMÍLIA nasce para enfrentar o maior desafio da sociedade brasileira, que é o de combater a fome e a miséria, e promover a emancipação das famílias mais pobres do país. Através do BOLSA FAMÍLIA, o governo federal concede mensalmente benefícios em dinheiro para famílias mais necessitadas.

Consideremos:
1 - Onde está o resultado do plano?
2-  Como possuímos o controle deste programa?
3-  Será essa a única resposta para o crescimento?
4 - Será verídico o benefício ao aumento da prole?

A família brasileira e seu vasto eleitorado retribuem a todo vapor sua produção.
No Brasil, onde tudo realmente pode acontecer, é real o fato de um benefício se transformar na mais alta chacota já relatada aos ventos em jornais e revistas respeitados do país.
Para citarmos um dos inúmeros casos, falemos de Teresina-Piauí, onde o programa foi suspenso devido a prova do benefício se direcionar a autoridades locais. Para ser mais exata 1100 servidores municiais, que estavam irregularmente no programa para receber o recurso.
O pagamento irregular foi detectado pelo Ministério Público Federal após o cruzamento da lista dos beneficiários do Bolsa-Família no município e a relação de funcionários públicos.
Dizer que é um programa emancipador da realidade social do povo brasileiro é uma mentira.

O mais cruel fato se aplica ainda onde a corrupção envolve um país com sede de crescer, mas com demasia de homens que não se aplicam na lei e ordem.
Se isso é tudo que pode ser feito, vamos abrir mão de qualquer ordem social?.
Planejamento não é algo que se valoriza por aqui,todos os candidatos em eleições tem o bálsamo miraculoso para todos os problemas, mas de fato quando assumem a responsabilidade, não fazem nada, vivem em seus castelos erguidos com suor e esperança alheia. Poder Irresponsável, é isso que temos hoje.

Que beleza! Petróleo, copa do mundo, olimpíadas, panamericano, copa do mundo de futsal, Futebol toda quarta, quinta, sábado e domingo, Com tanto circo, quem vai se preocupar com mais alguma coisa?
O programa se multiplica pelo país e em ritmo acelerado. A pergunta que faço é:
Até onde o limite é o início do caos?. Se colocamos em prática todas as teorias de Darwin sobre a existência humana, conseguiremos extirpar os últimos dinossauros da terra?

Existe a falta de compromisso com a verdade implícita. Nascemos, crescemos e morreremos na total ignorância, esta, proclamada por um presidente sem total estrutura em discrepâncias anunciadas aos quatro ventos.
Essa é a única realidade, ou existe mesmo um mundo paralelo no congresso?
Ação e equilíbrio, duas palavras que podemos considerar ponderadas, exatas, coerentes. 
Ação implica em reação. 

Façamos valer a pena, temos o direito de tentar colocar em prática toda lição que recebemos. Sua responsabilidade vai além de sua TV colorida, seu carro importado e sua geladeira cheia. 
Deixemos de lado as diferenças sociais e pensemos na nação.
Quintana explica que os sonhos são nossos espelhos e que neles existem incontáveis caminhos que podemos escolher. 
Como disse Veríssimo:
"Pode ser difícil fazer algumas escolhas, mas muitas vezes isso é necessário. 
 Existe uma diferença muito grande entre conhecer o caminho e percorre-lo."

Minha resposta é simples: 
Você é o maior responsável, o maior causador e sem dúvida o maior influenciador. 
Vivemos em um país "livre", bonito pela própria natureza.
Somos frutos de nossa própria vontade.
Hoje não creio mais na pátria mãe gentil. Observo, escuto, coloco em prática minha civilidade, analiso o melhor caminho e decido quem deixarei tomando conta da casa.
Nossa casa esta cheia, pessoas e suas eternas crendices populares sobre ser ou não ser.
Talvez o que precisemos seja apenas um pouco de silêncio.
Desligue seu motor impetuoso e cheio de si, é sua função saber que tipo de vida você terá hoje. 
Pare e faça uma reflexão de suas atitudes, analise suas escolhas, observe os exemplos.
Leia mais, estude melhor as opções. Você é o decisor junto há milhares que o cercam.
Você não esta sozinho, pense nisso.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu registro...