terça-feira, 22 de dezembro de 2009

Um bom ano


Mês conturbado, mas estou aqui para me despedir em grande estilo.

Hoje é um dia como todos os outros, não fosse a idéia de saber como anda seu espírito de gentilezas.
Estamos chegando ao final de mais um ano, para alguns o melhor, para outros nem tanto assim.
O importante é saber onde você se empenhou e quais serão os frutos de sua dedicação atual.
Existe um período do ano em que colocamos na balança nossas atitudes, e claro, nos desperta esse sentimento de acolhimento pessoal e de pensamentos bucólicos e até mesmo incertos sobre o que nos espera.

Mais do que uma expectativa, estamos todos empenhados por fazer do mundo um lugar melhor e com uma dose maior e melhor de inteligência.
Despertar a curiosidade e incentivar a cultura literária, talvez adormecida no meio de tantos assuntos políticos e afins que tanto buscamos mudar, mas que erroneamente não conseguimos.
Peçamos talvez uma chance de iniciar uma jornada com melhores imagens, melhores demonstrações de humanidade e uma certa compreensão aplicada na educação de cada ser humano que nos rodeia e por todos que iremos conhecer.

Para mim o ano termina com inúmeras descobertas pessoais, relevantes gritos de criatividade e intensos momentos de pensamentos profundos.
Incontáveis minutos de paciência misturados a frustrações repentinas, mas essa é a grande chave da questão, ter a disciplina para virar o jogo.
Uma dose extra de contemplação ao ver meus textos lidos e apreciados por pessoas que nem sequer conheço pessoalmente, mas que já fazem parte do meu dia-dia, me impulsionando a colocar em prática toda essa carga positiva de crescimento pessoal.

O ano pessoal é o que você faz, aquele que você, incansavelmente, coloca empenho, otimismo e o torna singular entre tantos que já passou e sabiamente deixou para trás como parte de sua história.
Para o próximo ano desejo que você queira muito mais, desperte muito mais sentimentos intensos nas pessoas e que acima de tudo continue apostando e acreditando em suas escolhas.
Assim mais um ano se vai e proponho que façamos um balanço do que aprendemos, acreditamos e supomos mais que realizamos.
Desejo que você continue aqui, fazendo parte da minha história e que juntos possamos adquirir mais e melhores experiências significativas.

Não esqueça, para o próximo ano, siga três simples passos:
NO FEAR
NO LIMITS
NO STRESS

Até o próximo ano.

Em especial, dedico ao meu marido, a quem hoje é meu maior e mais fiel companheiro e sem ele nada disso seria possível.

segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

A razão e sensibilidade de todos nós



Hoje sei o quanto as palavras são importantes, o quanto devemos prestar atenção aos pequenos sinais que sem querer recebemos, e que muitas vezes, não sabemos por onde ou como administrar.
Existem sentimentos que chegam arrebatando sentidos, despertando sensações de raciocínio incompatíveis com a razão.

A sensibilidade é pura e única na vida de todos nós.
A razão é um estado permanente de atenção.

Sejam quais forem sua razões, suas escolhas, pelo menos uma vez você já se sentiu fora do ar, momento este que fica guardado para sempre. Uma espécie de memória pessoal da qual você não quer se livrar, ela simplesmente fica e marca sua vida.
Tente se lembrar de boas recordações, aquelas que fazem seus olhos se encherem de lágrimas, refletindo um suspiro profundo e sem querer acaba por soltar aquele sorriso discreto no canto da boca.
Então lá está...sua recordação, seu pequeno e significativo segundo pessoal.

Ontem tive meu segundo, incrivelmente assistindo a um filme sobre uma família e seu cachorro. Muitas vezes aprendemos lições onde menos esperamos, visualizamos exemplos, nos arrebatamos com lágrimas, ou como meu pai dizia: lágrimas perenes.
Quem não se recorda de uma infância feliz, repleta de risadas?
Este talvez tenha sido meu maior momento melancólico.
Que saudades dos tempos em que a preocupação era apenas por uma viagem com amigos, um abraço em meu cachorro e um simples almoço em família.

Mas sem dúvida concordo quando dizem que o importante na vida são os momentos que idealizamos e os caminhos que optamos em percorrer. Eis aqui a verdadeira lição:

Não percamos tempo apenas tentando buscar uma resposta para a razão que muitas vezes toma conta de nossas ações, somos seres humanos, somos na maioria das vezes apenas o que as pessoas querem que sejamos, programados.
Não deixe que a vida passe sem ao menos ter seu momento de sensibilidade, hora com boas conversas entre amigos, hora apenas desfrutando sua melancolia, recorde-se de velhas lembranças, aquelas que o fizeram ser este ser único e inconfundível.
Ria e chore quantas vezes sentir vontade, coloque para fora motivos, razões e circunstâncias.

Todos nós temos algumas parcelas na vida de outros, mas quais são suas reais participações?
Quantos sorrisos e lágrimas você desperta?
O sentimento é, por sua vez, o mais íntimo de cada um, algo que não se pode comunicar de forma que o esforço de compreensão destes é sempre poético e intuitivo.
É a capacidade de darmos atenção, o modo como dispomos ao que não somos e não conhecemos.

O que importa é a parcela significativa que você paga por ser você mesmo.
Sempre.

terça-feira, 1 de dezembro de 2009

E você com isso?

Onde vamos parar?
Devemos mesmo começar a contabilizar nossas palavras no mundo?

Diariamente constatamos que as palavras estão presentes em todas as partes de nosso cotidiano, de um jeito significativamente extenso.
Somos invadidos com spans, anúncios a mil, implicações da modernidade digital, uma invasão de espaço e tempo.
Até onde podemos de fato tirar proveito desta comunicação que chegou mesmo para ficar?

terça-feira, 24 de novembro de 2009

1 ano e muito mais

24.11.2009

1 ano de blog.
1 ano de descobertas fundamentais.

Hoje deixo registrado toda minha contemplação e felicidade ao constatar que realmente o ser humano pode sempre muito mais.
Sou fruto de uma persistência positiva e de um caminho alternativo ao saber, querer e compreender.

Este blog é dedicado aos pensadores, aos idealistas e à aqueles que sempre fazem acontecer.
Agradeço a todos que de forma única fazem parte deste universo que se abriu e que continua a crescer todos os dias.
Obrigada por dividirem idéias, momentos de leitura e paciência.
Que venham mais 1, mais 10 e mais 100 anos pela frente.

Abraços a todos e até o próximo artigo.
Dani

sexta-feira, 20 de novembro de 2009

Vamos deixar ficar


Qual mensagem e imagem você quer deixar para o mundo?
Se diariamente ao olhar no espelho você ver refletido apenas uma sombra, está na hora de parar e analisar o que você está deixando para trás.
Suas escolhas, seus pensamentos e principalmente suas idéias devem ser vistas como ímpares, concorda?
Cada passo que você dá para frente, creia, de vez em quando você dá dois para trás.
Assim são as decisões e as respostas que tomamos todos os dias.
Cabe a nós exercermos o exercício diário de tentar mudar este cenário. É o que eu sempre falo: sua vida, suas escolhas.

Quem não gostaria de mudar alguma coisa na vida?

Vamos deixar assim...
Faça um balanço, crie um pequeno momento seu e reflita como anda sua vida.

Este final de semana farei o meu, depois voltarei aqui com algumas boas resoluções.
Abraços.

quarta-feira, 18 de novembro de 2009

Nossos comerciais, por favor.


PAUSA CRIATIVA.
VOLTO EM BREVE.

sexta-feira, 13 de novembro de 2009

Ultrapassando o tempo


Para fechar a semana...

É bem verdade que estamos em um processo de reciclagem.
Estamos revendo valores, questionamento posturas, cobrando mais que realizando.
Nossa cabeça anda a mil, com nossos pensamentos indo cada vez mais depressa, talvez além da conta do que conseguimos processar.
O quanto tudo isso modifica sua vida?

Não podemos colocar em segundo plano a nossa verdade, nossos sonhos, o que de fato nos deixa felizes.
Nós merecemos momentos de prazer, de plena inconsciência.
Podemos contar quantas vezes nos perdemos em risadas, em rodas de conversas com bons amigos que fazem parte da vida e que ficam ausentes na maioria do tempo.
Ter tempo é algo bem relativo para algumas pessoas e isso de fato me deixa um pouco confusa sobre o que as pessoas de fato querem ou estão fazendo de suas vidas.
Existe um desperdício muito grande, um abismo de tarefas e vontades que deixamos para trás, apenas esperando o tempo passar e fazendo dos segundos um conflito de interesses muito grande.
Estamos colocando muita coisa na frente de nossos interesses. o mundo cobra, este é o maior problema moderno.

Estamos contando demais as horas e esquecendo os raros momentos de prazer, talvez de quietude.
O mundo é portátil demais, não acha?

Existe um prazo que devemos respeitar, mas precisamos compreender e aceitar a hora em que devemos sair do lugar. Se o mundo é portátil, é preciso ultrapassarmos as próprias sensações de limite pessoal.
Nós viemos ao mundo para fazer acontecer, nossos anseios não podem estar entre o limite e o real.

Temos de saber aproveitar o tempo seja de que forma for, pois se não, os dias passarão e nada mudará, você verá a vida acontecendo pelo lado de fora da janela de casa ou do trabalho.
Divida seu tempo, multiplique suas vontades, saiba somar suas vontades, mas diminua sua carga horária de cautela e preocupação.

Por isso existam pessoas que tenham um pensamento diferente sobre tempo e afazeres... isso talvez as assuste, as surpreenda.
A vivacidade é algo impressionante e isso sim é um diferencial.
Se você possui a opção de mudar o cenário de sua vida, ultrapasse seus limites, crie suas opções, construa seu caminho, identifique-se com algo relevante.
Ao menos algo mudará, sua tentativa de fazer valer a pena.

"A cada dia que vivo, mais me convenço de que o desperdício da vida
está no amor que não damos, nas forças que não usamos,
na prudência egoísta que nada arrisca, e que, esquivando-se do
sofrimento, perdemos também a felicidade".
Carlos Drumond de Andrade

segunda-feira, 9 de novembro de 2009

?


CONHECIMENTO.

No cotidiano falamos de conhecimento, de crenças que estão fortemente apoiadas por dados, e dizemos que elas tem justificativa ou que estão bem apoiadas. Bem, imagine-se em uma busca permanente pelo desconhecido. Nós possuímos inúmeros recursos, fonte inesgotável de interesses em comum.

Quaisquer que sejam seus conflitos, sua busca pode mesmo leva-lo ao infinito particular de alternativas inesgotáveis – CONHECIMENTO nada mais é do que o poder de irmos além através da própria vontade do querer. Somos intensos, implícitos, ímpares; alternativas não nos faltam na hora de acreditarmos que estamos presentes no mundo com um propósito.

Imagine-se como um baú, cheio de infinitas palavras e situações, das quais tudo depende exclusivamente do seu interesse em levar adiante seu parecer e diferentes visões sobre tudo que envolve sua exclusiva vontade. Conhecer faz parte da essência humana. Independente do que for fazer, saiba de que forma começar e como passar adiante o que aprendeu. Saber como, é a grande chave da questão. Vivemos para isso, morreremos para isso - Obter experiência.

O conhecimento requer tanto a crença quanto a verdade. o exemplo mais óbvio é a descrição do que acontece na cabeça de alguém. Verdade seja dita: Na busca pelo ideal coloque importância e priorize metas no que for desenvolver, visualize pontos de vista, deposite energia e cimetria - foque em resultados palpáveis, mas acima de tudo não desperdice oportunidades de melhorar seus conhecimentos, independente do que fizer ou estiver executando.

Se tudo é um ciclo, estamos dentro de uma verdade: Sempre existirá a chance de aprimorarmos nosso intelecto. Assim nascem as grandes idéias e o conhecimento que empregaremos nelas.

Que será então necessário para além da crença verdadeira alguém possuir conhecimento?

Na minha opinião é que todos os dados que justificam uma crença não precisam ser infalíveis. Penso que podemos ter crenças racionais bem apoiadas, mesmo quando não nos empenhamos em estar absolutamente certos de que o que acreditamos é verdadeiro.

Assim concluo que a crença verdadeira não é suficiente para o conhecimento. Faça você mesmo sua interpretação.

sábado, 7 de novembro de 2009

O SUBSTITUTO


Na verdade, O Brasil, o que será?
Brasil é o homem que tem sede ou o que vive na seca do sertão?
Ou será que o Brasil dos dois é o mesmo que vai, é o que vem na contra-mão?
Brasil é o que tem talher de prata ou aquele que só come com a mão?
Ou será que o Brasil é o que não come, Brasil gordo na contradição?
Brasil que bate tambor de lata ou o que bate carteira na estação?
Brasil é o lixo que consome ou tem nele a mana da criação?
Brasil é a foto do Betinho ou um vídeo da favela naval?
São os trens da alegria de Brasília ou os trens do subúrbio da central?
Qual a cara da nossa nação?
(Créito: A cara do Brasil - Celso Viáfora)

Para que possamos discutir sobre justiça, temos a obrigação de compreender o assunto.
Qual o real motivo de uma eleição?
Onde mora nossa cidadania?
Até que ponto somos realmente fiéis com nossos propósitos eleitorais?
Existe uma canção que diz:
" Brasil, mostra sua cara...quero ver quem paga para a gente viver assim.
Brasil, faz um bom negócio, o número do seu sócio confie em mim.
Grande pátria desimportante, em nenhum instante eu vou te trair".

O Brasil tem a cara de seu povo, seus costumes enrraizados e suas manias históricas pregadas na pele.
O brasileiro descreve seu país nas mais variadas maneiras, sua "terra firme, livre", é a sua "mãe gentil" e a " Terra do nosso senhor". Apresentam o Brasil com as características que são reconhecidas no mundo inteiro como cartas de apresentação.
Por exemplo, através do futebol, carnaval, música e mulheres.
Se existem duas metades em um mesmo país, por que só os fracos sobrevivem?
Não se esqueça, os fortes são sempre a minoria.

O poder da escolha, o julgamento.
Afinal, em um país onde o presidente é visto como o tolo dos fracos, suas pérolas frases são reconhecidas como uma tela mal pintada ou então uma indigesta refeição.
Para citar as inúmeras besteiras cometidas por nosso excelentíssimo representante popular,
descrevo abaixo as incontáveis discrepâncias encontradas no blog do Cleverton -http://clevertongomes.blogspot.com/2006/08/frases-do-lula.html

Lula Cultural:
" Não é mérito, mas pela primeira vez na história da república, a república tem um presidente e um vice-presidente que não tem diploma universitário. Possivelmente, se nós tivéssemos, poderíamos fazer muito mais".

Lula Diplomático:
" Cheguei a presidência para fazer as coisas que precisavam ser feitas e que muitos presidentes antes de mim foram covardes e não tiveram coragem de fazer" .Conheço o Panamá só de dormir. Até recentemente sempre que eu ía a Cuba, tinha que dormir uma noite lá. Dirigindo-se ao embaixador do Pánamá..."Estou surpreso por quer esta cidade é tão bonita, quem chega a Windhoek, não parece que esta num país africano". Em Winkhoek capital da Namíbia, em discurso ao lado do presidente Sam Nujoma, que durante a fala, puxou o brasileiro pelo braço.

Enfim, inúmeros vergonhosos e tristes momentos.
Mas retomando o assunto sobre justiça, voto e discrepâncias.
Acredito sim que o Brasil possua inúmeras faces, mas ultimamente não creio no poder das pessoas que poderiam mesmo fazer algo, elas estão escondidas dentro de um contexto irônico, dentro de um movimento separatista falso, pobres de espírito.
Durante 4 anos, fui obrigada a atuar diretamente nas eleições de São Paulo..minha civilidade não vai além de uma bandeira que posso avistar do outro lado da rua.
Presenciei os mais estupefatos momentos de gloria ao Deus, como assim?, ok, aí vão os momentos:
- " Viva Senhor,ele ganhou por nós", " Deus abençoou os pobres, dando a eles o filho legítimo".
E por ai segue, ainda não são 9:00 horas da manhã, não me permito.
Entra aqui a discussão:
Você é a favor do que?, de quem? e por que?
A civilidade não julga momentos, mas questiona obrigações.Você tem sim a obrigação de perguntar.
Perguntar a sí mesmo se está agindo certo em prol de todos, afinal, você escolhe um presidente para uma nação e não apenas para usufruto.
Hoje não creio em mudanças, vejo possibilidades.
Mas para que estas possibilidades se tornem fatos, precisamos mudar nossos hábitos e aprender a ler um país entre suas linhas, não mais olhar para o próprio umbigo, certo Sr. Presidente?
P.S 2010 - Ano de eleição, não se esqueça.

sexta-feira, 6 de novembro de 2009

Somente por hoje

Podemos acreditar que tudo que a vida nos oferecerá no futuro é repetir o que fizemos ontem e hoje.
Mas, se prestarmos atenção, vamos nos dar conta de que nenhum dia é igual a outro.
Cada manhã traz uma benção escondida; uma benção que só serve para esse dia e que não se pode guardar nem desaproveitar.
Se não usamos este milagre hoje, ele vai se perder.
Este milagre está nos detalhes do cotidiano; é preciso viver cada minuto porque ali encontramos a saída de nossas confusões, a alegria de nossos bons momentos, a pista correta para a decisão que tomaremos.
Nunca podemos deixar que cada dia pareça igual ao anterior porque todos os dias são diferentes, porque estamos em constante processo de mudanç
a.

Paulo Coelho.

quarta-feira, 4 de novembro de 2009

Para você com carinho...


Nunca é pouco, demais e sempre vale a pena retribuir.
Desejo a vocês, dias repletos de felicidade.
Que todos os momentos se tornem infinitos dentro de sua imensidão.

A vocês, amigos verdadeiros, desejo bons fluídos, energias positivas e sorte em todos os projetos que virão pela frente.

Aos momentos que virão e palavras que surgirão...
Por hoje e para sempre...

terça-feira, 3 de novembro de 2009

Eu, você, nós, eles


Começo a me perguntar por onde andam as boas coincidências humanas.
Até onde podemos dizer que o alheio modifica nossa maneira de agir e de pensar?
Existe mesmo um comportamento unilateral entre as pessoas?
Buscamos o que pelo que, ou o qual pelo qual?

Se vivemos dentro de um universo paralelo, começo a me questionar onde devemos colocar empenho, será nas próprias relações humanas e seu eterno egoísmo ou apenas no contexto literal da palavra confraternização?

Inúmeras perguntas...padrões de respostas: Sim, não, talvez.
Sabemos pouco sobre esperança, mas muito sobre o Esperanto. Dúbio não?

A convivência, eterno dilema universal.
Conviver exige paciência, desprendimento, limites, responsabilidade e acima de tudo uma divisão de tarefas, ou seja, cada um no seu quadrado, mas todos dentro do círculo de confiança.
Mas para que todos esses paradigmas aconteçam de forma natural, é necessário que você idealize melhor suas idéias.
Espaireça com calma, mude alguns hábitos e comece a pensar em conjunto, uma vez que estamos juntos não há motivo para imaginar um horizonte solitário.

O importante é sabermos qual a melhor forma de administrarmos nossa vida, nossas atitudes e pensamentos. Temos um dever implícito com a sinceridade, obrigações morais com a honestidade e o principal: não podemos isolar nossa capacidade de sermos cada dia melhores.
O que você faz aqui, certamente o atingirá lá na frente.

Eu, você, nós, eles...Somos constantes e isso é um fato presente.

"É possível mudarmos nossas vidas e a atitude daqueles que nos cercam simplesmente mudando a nós mesmos".
Rudolf Dreikurs

quarta-feira, 28 de outubro de 2009

Enganos

Somos humanos, logo passíveis de erros.
Somos, algumas vezes, um engano, quem sabe até uma sequência de erros impensados.

Mas somos humanos, o que nos permite ser na maioria do tempo.

Para quem vive apenas do "achismo", está na hora de contabilizar os enganos e começar a creditar os acertos.
Inúmeras vezes os enganos que cometemos nos arrebata e movimenta o nervo central que nos faz raciocinar e acredite: muitas vezes as pessoas não voltam atrás e tentam acertar, elas simplesmente passam por cima de valores em nome do que?...pois bem, responda você mesmo.
Os enganos nos mostram até onde podemos ir e de que forma conseguimos chegar e como chegar.

Vivemos plenamente ou apenas deixamos a vida nos levar?
Talvez esse sem dúvida seja o maior de todos os enganos que cometemos e se pararmos para refletir nas reais consequências, teremos algumas imagens distorcidas de uma vida que poderíamos ter se deixássemos de ser tão céticos.
A dualidade só existe mesmo dentro de nós mesmos, pense antes de continuar achando que sua vida poderia ser melhor do que de fato é.

Nós nunca estamos satisfeitos, essa inquietude apesar de tudo é saudável, pois nos leva a correr sempre atrás de algo que nos preencha melhor.
É preciso cautela, nem sempre estamos preparados para uma mudança, mas elas são importantes para exercermos nosso intelecto bruto, o medo faz parte, ele nos protege, se você raciocinar, entenderá que os riscos são essenciais para nos impulsionar para o lado único da vida: o do crescimento.

Alguns enganos são tão bons, eles trazem boas surpresas.
Há sempre alguém que conhece alguém através de enganos.

Para você é visível que as vezes pensar demais cansa?, seria mais um daqueles enganos que cometemos a fim de resolver tudo na pressa?

Existem enganos cômicos, daqueles que com bons amigos e regados a boas risadas ficam na eterna lembrança.
Se para você, cometer enganos é algo imperdoável, comece a rever alguns conceitos, pois na vida só aprendemos através dos enganos que cometemos, esta é uma chance que você pode se dar a fim se tornar uma pessoa melhor.
Enfim, se cada um cuidar do que é seu, estará ao menos fazendo uma parte de todo engano que é tentar cuidar da vida alheia, nada mais difícil...no mínimo invasivo.
A vida para você é isso aqui e agora ou ainda falta alguma coisa?

"Não há enganos.
Os acontecimentos que recaem sobre ti,
por muito desagradáveis que sejam,
são necessários para que aprendas
aquilo que precisas aprender.

Cada passo que dás
é necessário para chegar ao local
que escolheste".

Richard Bach

terça-feira, 27 de outubro de 2009

Limites


Impor limites não significa falta de atenção ou cautela demasiada, apenas limitar seu espaço e cuidar do que é seu, suas vertentes, onde de fato você vive.
Muitas vezes o limite varia de acordo com a pessoa, seus costumes, sua visão sobre amor e até mesmo,implica em falta de responsabilidade para com outros ou a sí mesmo.

Na vida temos três obrigações firmadas: Amar, cuidar e respeitar; regras básicas de sobrevivência.
Amar significa viver, aproveitar, escutar. Cuidar implica em existir no caos urbano dentro de uma racionalidade possível, ter a quem para alguém.
Respeitar nos inclina ao pensar, desfrutar, aprender.

Falo tudo isso pois inúmeras vezes as pessoas confundem os deveres e obrigações que as cercam e isto traz consequências, entre elas a perda da identidade pessoal e distorção dos fatos; o que é real somente para nós.
Nosso papel nesta vida é o de semear sem causar frustração à outros. Não devemos tomar conta das decisões alheias, não devemos nos antecipar frente aos problemas.

É claro que não precisamos ficar de braços cruzados diante de dilemas, mas creia, a cada um destina-se um caminho, você é apenas um passo na vida de alguém e com isso não se julgue protetor, seja apenas você na maioria do tempo e não um herói.
As pessoas podem se confundir e querer que você resolva todos os problemas e ache as mais incríveis soluções.
Divida possibilidades e não dor de cabeça, se é que me entende.

O limite cabe a quem não ao que.

domingo, 25 de outubro de 2009

Realidades



Vivemos para o imediato, somos diariamente cercados por segundos pulsantes.
Hoje somos mais out do que in.
Essa realidade diária, cada vez mais acelerada, nos impulsiona para o alto com idéias tortas sobre qualidade de vida e o que realmente importa no que diz respeito a individualidade e crescimento humano.

Será pura vaidade humana ou apenas evolução da espécie?
A maturidade e suas diretas consequências.

Se muitas vezes a realidade não é o que parece, será que fomos feitos para conviver com nossas próprias questões e com isso jogamos para os outros os nossos próprios dilemas?
Não deixa de ser uma realidade também quando ficamos no silêncio, quando o fato pede uma atitude impensada. Vivemos mesmo para descobrir - nos descobrir.

Se pararmos demais para pensar, seremos pegos pelo ego que nos cerca e com isso esqueceremos a essência humana - viver experimentando os fatos da vida.
Certa vez estava lendo um livro e fui pega com a frase: Viva a sua loucura, pois dentro do seu mundo as palavras não tem regras e as frases vivem sem sentido.
Não deixa de ter uma certa dose de realidade também.
A intenção disso tudo é constatar que o ser humano cria suas próprias fantasias e se vê, muitas vezes, perdido em seu intenso questionamento do por que, como e onde.
Se temos tempo, façamos o melhor pelo melhor - In.

Façamos nosso próprio tempo, sejamos mais felizes na maioria das vezes, o fazer pelo simples prazer.
A visão paralela das coisas nos torna ambíguos, sem fatos definidos nos tornamos sempre a pura mesmice, concorda?
Então para que você passe ao comando, se desprograme e reinicie sua vida a partir de agora.
Torne-a completa, viva os fatos e esqueça as dúvidas persistentes, desfrute e idealize sonhos.

Dica da semana: Realize, não reclame da vida.
A sua realidade pode ser melhor do que parece, basta empenhar-se.

terça-feira, 20 de outubro de 2009

Identidade particular

Aprenda a ser você mesmo, assim transmito a primeira lição de vida descrita por Osho, o
que é de verdade em você e que o torna único em uma grande maioria.

Autenticidade: Fazer valer toda verdade que tem dentro de sí.
Ser autêntico requer uma certa dose de modéstia, bom senso e capacidade. Nem sempre ser capaz significa ser inteligente, meio redundante já que estamos falando da diversidade do ser humano, mas coloquemos os pontos nos "is".
Independente do que estiver fazendo ou for executar, existe uma particularidade chamada exclusividade que faz a diferença e esta determina seu papel no mundo, seja corporativo ou não. Você com você e para todos.

Existe algo que o diferencia, que o torna um ser em potencial e saber encontrar este é que é a chave do negócio, o seu particular e verdadeiro baú de idéias e suposições certeiras.
Copiar é apenas um passo na vida daqueles que preferem conviver com o controverso, pense nisso antes de baixar a cabeça e caminhar na sombra de alguém, veja primeiro o tamanho da sua, você pode se surpreender e talvez se acostumar se fizer por merecer.
Todos nós possuímos um diferencial criativo, chama-se identidade particular.
Qual a sua identidade?

segunda-feira, 19 de outubro de 2009

Divinos personagens


Crédito: Grupo Divinadança - São Paulo
Em particular: Amo esta foto.

Faz algum tempo que tento descrever a arte contemporânea, através dos olhos de uma observadora "primária".
Pois esta oportunidade chegou, logo após uma noite de doces misturas no palco.
A arte e seu direcionamento...
A arte e sua essência...

O que impulsiona o ser humano?
Será uma capacidade de ser/estar além da compreensão divina?
Existe mesmo uma doce mistura de dança e sentidos que fazem uma complexidade única, uma certa duplicidade categórica dos cinco elementos do corpo.
Das particularidades que fazem parte do cotidiano humano, na minha visão, a dança contemporânea resgata os sentidos humanos da forma mais profunda; e apesar deu ser bem leiga no assunto, começo a desvendar os sinais que vem do palco, apenas me dizendo para estar presente de verdade:

A paixão que move o bailarino, suas aspirações, a eterna paixão pelos movimentos incorretos-corretos, pelo rústico soar dos bastidores, pela sincronia dos passos e saltos e principalmente pela emoção de eternizar cada coreografia.
Ainda existe muito chão pela frente, muitos programas a serem lidos e inúmeras coreografias a serem compreendidas, isso não é ótimo?

Fica registrado meu pedido:
Valorizemos a arte pela arte - divinos personagens.

sexta-feira, 16 de outubro de 2009

Opções

Cedo ou tarde, estaremos todos na mesma sintonia.

Existem alguns passos para onde você se direciona que farão você ser quem é para o resto dos seus dias. Seu carácter, sua personalidade, sua essência - Você com você.
Percebo que sou uma pessoa extremamente ávida, de pensamentos leves, intensos e fulgases, onde a compreensão e o amor são combustíveis vitais, únicos na maioria do tempo e que me levam a todos os estágios e desafios permanentes de pensamentos.
Consciência - Caminho alternativo da verdade, assim defino.

Por onde andam nossas mais intensas vontades - verdades?
Que caminhos traçamos na maioria do tempo e que nos fazem voltar sempre ao ponto de partida?
Algumas inclinações motivacionais fazem a vida valer e sair da teoria adormecida.
Tudo vale a pena quando fazemos com vontade e nos colocamos de verdade na ação e intenção de nossa própria presença terrena.

Hoje a vida deu uma guinada, o dia se tornou exclusivo e as pessoas mais reais em minha vida. São aquelas, que de forma sutíl, fecham o meu primeiro ciclo pessoal, sendo únicas na maioria do tempo - sintonizadas.
Começo a desatar os enigmas pessoais que tanto deixei adormecidos.
Quem sou e para onde vou...decifro as linhas e não mais as deixo em branco. Absorver, aprender, investir tempo e energia, sabe como é?

Quando a frustração e o questionamento se tornam eminentes é preciso colocar um foco, encontrar um pequeno facho de luz, para que da forma mais intensa o tire de seu estado de repouso.
Você é o centro de toda sua existência, não esqueça a que veio.
Seu mundo, imensas razões.

Escrever, criar, fazer - não estou no mundo a passeio, surgi para fazer acontecer.

" Somente por hoje terei medo de sentir mais do que deveria.
Somente por hoje me permitirei algumas alucinações necessárias.
Somente por hoje verei o mundo da forma como intenciono ver.
Somente por hoje não tentarei compreender a razão.
Somente por hoje existirei de forma qualitativa.
Somente por hoje ficarei sentada ao léu.
Somente e puramente continuarei aqui apenas escutando a voz interior que não se cala desejando mais, sentindo mais e flutuando um pouco mais nesta vasta imensidão denominada querer ".
By Dani

quinta-feira, 15 de outubro de 2009

O que você tem na cabeça?


Nós sempre reavaliamos nossas ações na noite de ano novo.
O que fizemos no ano e o que colocaremos em prática no ano que se inicia.
Estaríamos nós vivendo através dos tempos sem uma vida estabelecida - definida?

Coloco em pauta o assunto, pois hoje é um ótimo dia para você avaliar suas atitudes e definir de vez algumas idéias pré-concebidas sobre carreira e planejamento.
Afinal, o que você tem na cabeça é suficiente para leva-lo a algum lugar?
Na teoria do caos em que vivemos cotidianamente é preciso saber separar o joio do trigo, não é mesmo?

Nada mais atraente do que uma reunião produtiva, cabeças pensantes, blocos de anotações recheados de criativas suposições. Quanta realidade você emprega nisso e o quanto você faz parte como funcional, não apenas teórica?
É preciso estar não apenas ser.

Empreender de verdade requer mais que esforço, exige uma dose extra de paciência e criatividade.
Portanto meu caro, pense bem antes de abrir uma porta em qualquer lugar e chama-lo de office, espere mais que bons parceiros de jogada, tenha profissionais que o auxiliarão nesta jornada, idéias que realmente vendem, competência para gerenciar crises e o melhor: capacidade integral!.
Muitas vezes ser um funcionário rende mais do que ser patrão, pense nisso.
Nada impede que o empreendedor esteja onde você estiver.
Não desista, apenas saiba como investir seu tempo de maneira correta.

segunda-feira, 12 de outubro de 2009

Folga


Período silencioso.
Preciso criar.

CERTEZAS


Julguemos nossas certezas.

Certezas por Mário Quintana

Não quero alguém que morra de amor por mim…
Só preciso de alguém que viva por mim, que queira estar junto de mim, me abraçando.
Não exijo que esse alguém me ame como eu o amo,
quero apenas que me ame, não me importando com que intensidade.
Não tenho a pretensão de que todas as pessoas que gosto, gostem de mim…
Nem que eu faça a falta que elas me fazem, o importante pra mim é saber que eu, em algum momento, fui insubstituível…
E que esse momento será inesquecível..
Só quero que meu sentimento seja valorizado.
Quero sempre poder ter um sorriso estampando em meu rosto, mesmo quando a situação não for muito alegre…
E que esse meu sorriso consiga transmitir paz para os que estiverem ao meu redor.
Quero poder fechar meus olhos e imaginar alguém…
e poder ter a absoluta certeza de que esse alguém também pensa em mim quando fecha os olhos,
que faço falta quando não estou por perto.
Queria ter a certeza de que apesar de minhas renúncias e loucuras,
alguém me valoriza pelo que sou, não pelo que tenho…
Que me veja como um ser humano completo, que abusa demais dos bons
sentimentos que a vida lhe proporciona, que dê valor ao que realmente
importa, que é meu sentimento… e não brinque com ele.
E que esse alguém me peça para que eu nunca mude, para que eu nunca
cresça, para que eu seja sempre eu mesmo.
Não quero brigar com o mundo, mas se um dia isso acontecer, quero ter
forças suficientes para mostrar a ele que o amor existe…
Que ele é superior ao ódio e ao rancor, e que não existe vitória sem humildade e paz.
Quero poder acreditar que mesmo se hoje eu fracassar, amanhã será outro dia,
e se eu não desistir dos meus sonhos e propósitos,
talvez obterei êxito e serei plenamente feliz.
Que eu nunca deixe minha esperança ser abalada por palavras pessimistas…
Que a esperança nunca me pareça um “não” que a gente teima em maquiá-lo de verde e entendê-lo como “sim”.
Quero poder ter a liberdade de dizer o que sinto a uma pessoa, de poder
dizer a alguém o quanto ele é especial e importante pra mim,
sem ter de me preocupar com terceiros…
Sem correr o risco de ferir uma ou mais pessoas com esse sentimento.
Quero, um dia, poder dizer às pessoas que nada foi em vão…
Que o amor existe, que vale a pena se doar às amizades e às pessoas,
que a vida é bela sim, e que eu sempre dei o melhor de mim…
e que valeu a pena.

quarta-feira, 7 de outubro de 2009

O saber e o fazer

Estamos no ciclo da vida.
Está na hora de pararmos para pensar.
Existe um momento em que precisamos começar a ouvir, sentir, olhar e viver os chamados interiores.
Devemos resgatar para nossa vida uma essência verdadeira do existir, do valor que tudo representa e nos faz ser.
Estaríamos nós fugindo ou sempre correndo dos valores necessários da vida?

Pare e pense um pouco em como a vida anda acelerada demais, o quanto nos tornamos máquinas que permanecem sempre ligadas, em postura reta, não damos tempo para o silêncio da alma, não baixamos a guarda.
Escutemos a baixa frequência do vento que sopra em nossa direção.
Se pensarmos na vida como um círculo aberto, começaremos então a compreender que somos parte de um todo, ligados por sentimentos ímpares. Misto de saudade e saudosismo.
Talvez esteja aí a mensagem do mundo para o mundo: resgatemos nossas raízes, sintamos novamente a vontade pela vida - para a vida.

Se você parou, começamos bem.

É necessário reconhecer que esta forma mecanicista de compreender o mundo é limitada. A parte mecânica é apenas um aspecto, apenas aparência exterior.
A indústria transforma a matéria, através do uso da técnica cada vez mais sofisticada e presente, tornando o homem cada vez mais inconsciente dos processos que envolvem a tecnologia, cada vez mais alienado.
Há uma centena de exemplos de que a técnica domina todos os campos da vida humana, e o homem de hoje encontra-se numa situação de colapso, por não conseguir um acesso aos verdadeiros motivos de sua vida.
Portanto, para que possamos de verdade mudar nossa postura no mundo, temos de nos reinventar, deixando de lado o egoísmo e inverdades, e nos guiar, ou pelo menos nos cercar de sentimentos uníssonos de verdade pela verdade humana - CONTEMPLAÇÃO.
Contemplação significa colocar os olhos da alma naquilo que é invisível.

O coração fala com a voz interior da consciência, perceptível somente no íntimo do indivíduo. Essa voz interior silenciosa as vezes não pode ser calada e é experimentada corporalmente como uma "mordida da consciência" na região do coração - o remorso.
É primordial que sejamos mais reais e menos emergenciais em nosso cotidiano.
Não se trata de fuga, mas de voltar ao centro e interagir de verdade com você mesmo.
O que você faz e traz é o que determina seu papel como indivíduo.

DiverSidade
VerdAde
PlUralidade
LiberDade
IndependênciA
SeriedaDe
RespEito

terça-feira, 6 de outubro de 2009

A fé que move montanhas



Primeiramente deixe-me esclarecer:
" Fé é uma firme convicção de que algo seja verdade sem nenhuma prova de que este algo seja verdade, pela absoluta confiança que depositamos neste algo ou alguém. A palavra Fé veio da palavra grega pí·stis, que transmite a idéia de confiança, fidúcia, firme persuasão.
A fé se manifesta de várias maneiras e pode estar vinculada a questões emocionais e a motivos nobres ou estritamente pessoais. Pode estar direcionada a alguma razão específica ou mesmo existir sem razão definida. Também não carece absolutamente de qualquer tipo de evidência física
racional.
É possível nutrir um sentimento de fé em relação a um pessoa, um objeto
inanimado,uma ideologia, um pensamento filosófico, um sistema qualquer, um conjunto de regras, uma crença popular, uma base de propostas oudogmas de uma determinada religião

A fé não é baseada em evidências físicas reconhecidas pela
comunidade científica. É, geralmente,associada a experiências pessoais e pode ser compartilhada com outros através de relatos. Nesse sentido, é geralmente associada ao contexto religioso."
(trecho do artigo - wikipédia)

Sejamos honestos, assim começo meu artigo.
Até onde o homem é capaz de ir para extirpar esperanças, criar modelos e unificar crenças?
A fé se relaciona de maneira unilateral com os verbos acreditar, confiar ou apostar, isto é, se alguem tem fé em algo, então acredita ,confia e aposta nisso, mas se uma pessoa acredita ,confia e aposta em algo, não significa, necessariamente, que tenha fé. Pode-se considerar que ter fé é nutrir um sentimento de afeição, ou até mesmo amor, pelo que acredita,confia e aposta.

Ela não é apenas algo que nos alimenta, mas nos faz crer que (sejam elas quais forem), podemos tornar nossos desejos e anceios realidade.
O indivíduo homem, beirando sua existência, torna-se capaz de inúmeras atitudes em prol de seu fruto benefício.
Deixando claro que a existência não é algo questionável, apenas exponho aqui que o homem possui livre arbítrio, este inclui: Escolher e definir sua crença, fazer parte de algo, acreditar ou não, viver para algo, ler sobre, questionar seu poder interior e até mesmo, duvidar até sua própria morte.

A fé, apenas para isso e por isso.

Neste ponto faço uma pequena pausa para que você inicie uma certa inspiraração e entre de fato neste artigo, pois começo a falar de relações humanas.
Deixando bem claro que a ninguém compete o direito de julgar.

Para nós atualmente a fé perdeu o seu significado. Hoje em dia a palavra fé significa uma crença vaga e pouco clara numa coisa qualquer, Fé não é só ter esperança, acreditar ou de alguma forma esperar que algo aconteça, mas fé é saber, é ter certeza absoluta!.

Maledicência: é o ato de falar mal das pessoas. Definição bem amena para um dos maiores flagelos da Humanidade. Lembrando que: para fazer ou falar o mal...as palavras se escondem atrás de reais intenções.
Não há agrupamento humano livre da maledicência. Está presente mesmo onde jamais deveria haver lugar para ela: em instituições inspiradas em ideais religiosos de serviço no campo do Bem.
A maledicência tem sua origem, sem dúvida, no atraso moral da criatura humana. Intelectualmente, a Humanidade atingiu culminâncias. Chegamos à Lua, desintegramos o átomo. Moralmente, entretanto, somos subdesenvolvidos, quase tão agressivos e inconseqüentes como os habitantes das cavernas, e, se o verniz de civilidade nos impede de usar a clava, usamos a língua, atendendo a propósitos de auto-afirmação, revide, justificação ou pelo simples prazer de atirar pedras em vidraças alheias.

O que nos inspira a entrar em um templo e acreditar que o "salvar" depende exclusivamente de terceiros, afinal: para isso você paga não é mesmo?
Quanto vale sua vida, sua alma?, sua crença?
Não meu amigo, você não questiona, apenas compreende dentro de sua própria afirmação divina, que esta promessa ou "salvamento" faz parte de uma cota que você comprou a anos atrás quando aceitou ser vendido.

É importante falar que religião, seja ela qual for,direciona-se apenas para um caminho: encontrar a paz interior, a sua paz interior.

Por isso, preste atenção em seus valores, suas crenças e julgue-se!, permita-se questionar até onde a fé move montanhas e sem querer acaba por derrubar algumas paredes.

segunda-feira, 5 de outubro de 2009

Reflexos e impressões



Bahiano é um povo de fala mansa, rasteira...certeira.
Fiquei encantada com esse jeito tranquilo de fazer as pessoas se sentirem em casa. Somos afinal, os convidados de uma festa que não termina nunca.

Existe um encantamento que só sentimos mesmo em Salvador. As pessoas são felizes por sí só e sabem mesmo como aproveitar este contemplamento interior.
Me senti bem apenas com o fato de compreender que existe uma magia que circula pela cidade, e como dizia Tom Jobim: quem conhece não esquece nunca mais.

E de fato concordo, pois voltei com o espírito mais leve, a cabeça muito mais centrada e o coração um pouco mais leve. Talvez seja um sentimento compatível com saudade, infinita saudade pelas coisas que ví e pessoas que tive o prazer de conhecer um pouco mais.
Eternas primeiras impressões, reflexos de boas lembranças.

Cidade de magia de todos os sonhos e encantos,
O canto de São Bartolomeu é também dos Orixás,
Recanto e encanto de ebós e de todos os Santos,
Paraíso de Mãe de Santo e também dos Orixás.

Em todo motivo se faz festa com alegria,
Regadas com bebidas e cantos de preceitos.
Cidade de todas as crenças e encantos,
De pecados e tradições em boa harmonia...

Cidade de beleza histórica e bonita por natureza,
De ladeiras e construções barrocas multicoloridas,
Nasceu e cresceu beirando os morros da natureza,
Em um lindo dia de pôr-do-sol de nuvens coloridas...

Num sonho de inspiração poética me disse o poeta:
A minha castro Alves é praça. E é do povo!...
É a àgora da liberdade e sonho eterno do poeta.

Nas águas do Dique de Tororó,
vem a creça nos Orixás...
Do som dos tambores do Pelourinho,
vêem as tradições...
Da voz do vento dos coqueiros de Itapoã,
vêem as canções...
Da colina sagrada da igreja do Senhor do Bonfim,
vem a fé, as promessas e as orações...