terça-feira, 2 de dezembro de 2008

Parentes


Esta semana em especial, colocarei aqui outro post sobre o real sentido de parentes...família.


Parente: noun masculine-feminine parente [pɐ'rẽtə] pessoa da mesma família.

A família é um núcleo de convivência, unido por laços afetivos, que costuma compartilhar o mesmo teto. É a definição que conhecemos. Entretanto, esta convivência pode ser feliz ou insuportável, pois seus laços afetivos podem experimentar o encanto do amor e a tristeza do ódio.

E a morada sobre o mesmo teto? Dependendo dessas fases contrastantes, ela pode ser um centro de referência, onde se busca e se vivencia o amor, ou... um mero alojamento.

A família não é algo que nos é dado de uma vez por todas, mas nos é dada como uma semente que necessita de cuidados constantes para crescer e desenvolver-se. Quando casamos, sabemos que, entre outras coisas, temos essa semente que pode germinar e um dia dar fruto: ser uma família de verdade. Devemos, portanto, estar conscientes de que é preciso trabalhá-la e cultivá-la sempre, constantemente, e com muito amor.

Aí vem a pergunta: Quantas famílias possuímos?
Quando adentramos no interior desta ou daquela família, deixando de lado as teorias e descendo ao palco da própria vida, observamos que a família é uma realidade dinâmica, em evolução permanente, nunca a mesma. Percebemos que cada família é um mundo à parte, com propostas e jeitos próprios e que não se repetem.
Você se casa...logo adentra em outro núcleo. Este pode ser fechado, aberto, disposto...
Disposição implica em conhecimento...mudança.
Mudar é bom, você aprende que nem sempre os irmãos de sangue são seus melhores amigos e reconhece em seus irmãos os amigos que jamais deixarão de existir. Cada um em seu espaço, sua história, seu momento.
Respeito mútuo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu registro...